sicnot

Perfil

País

Mário Soares será o primeiro a receber o diploma de deputado honorário

O ex-chefe de Estado e ex-primeiro-ministro Mário Soares vai ser o primeiro constituinte a receber o diploma de deputado honorário, cerimónia privada que decorre na quinta-feira de manhã antes da entrega da mesma distinção ao Presidente da República.

Mário Soares

Mário Soares

© Rafael Marchante / Reuters

Fonte do gabinete do Presidente da Assembleia da República confirmou à agência Lusa que Eduardo Ferro Rodrigues e os membros da mesa do parlamento entregam o diploma de deputado honorário a Mário Soares numa cerimónia privada.

Depois, às 12:00, a mesma comitiva desloca-se ao Palácio de Belém, em Lisboa, para entregar esta distinção ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

A cerimónia para entrega dos diplomas aos restantes deputados constituintes vivos que aprovaram a Constituição da República Portuguesa a 02 de abril de 1976 decorre também na quinta-feira, no parlamento, da parte da tarde, depois da sessão plenária.

Inicialmente, estava previsto que Marcelo Rebelo de Sousa fosse o primeiro constituinte a receber este diploma, mas depois foi concertado entre os gabinetes do presidente da Assembleia da República e do chefe de Estado que Mário Soares o recebesse antes.

No âmbito das comemorações dos 40 anos da Constituição da República Portuguesa, todos os deputados constituintes vivos que aprovaram a lei da fundamental vão receber o diploma com o título de deputado honorário, estando já confirmada a entrega desta distinção, segundo o gabinete de Ferro Rodrigues, a 114 deputados, para além de Mário Soares e Marcelo Rebelo de Sousa.

Na cerimónia que vai decorrer da parte da tarde no parlamento vão discursar Helena Roseta, Miranda Calha e Jerónimo de Sousa, três constituintes que atualmente ainda desempenham funções como deputados, e o constitucionalista Jorge Miranda em representação dos restantes constituintes, para além de Ferro Rodrigues, que propôs um conjunto de iniciativas para assinalar os 40 anos da Lei Fundamental.

Lusa

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43
  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.