sicnot

Perfil

País

Ministro ouvido dia 26 no Parlamento sobre demissão do ex-CEME

O ministro da Defesa vai ser questionado no próximo dia 26 no parlamento sobre a demissão do general Carlos Jerónimo da chefia do Exército, que está a provocar "ondas de choque" e "mal-estar" no ramo segundo o PSD.

Ministro da Defesa, Azeredo Lopes.

Ministro da Defesa, Azeredo Lopes.

A audição do dia 26, que já estava prevista, terá uma grelha própria para discutir este tema, decidiu hoje a comissão de Defesa Nacional, por unanimidade, após a discussão de um requerimento do PSD para chamar Azeredo Lopes ao parlamento.

Por outro lado, PS, BE e PCP votaram contra a pretensão do PSD para ouvir o general Carlos Jerónimo, que foi exonerado do cargo a seu pedido na semana passada e, não estando em funções, não está obrigado a comparecer a audições parlamentares e poderá ou não aceitar convites que lhe sejam dirigidos pela comissão.

A proposta para ouvir o ministro da Defesa sobre a demissão do chefe do Estado-Maior do Exército partiu do PSD, com o deputado Pedro Roque a defender que a situação está a provocar "ondas de choque" no Exército e a pôr em causa a "coesão do ramo".

"Estão por explicar as razões da quebra de confiança", afirmou Pedro Roque, defendendo que "o general Carlos Jerónimo é um homem de caráter e responsável" e que, para se ter demitido, "alguma coisa não correu bem".

Numa reportagem publicada pelo jornal 'online' Observador, o subdiretor do Colégio Militar, tenente-coronel António Grilo, afirmou: "Nas situações de afetos [homossexuais], obviamente não podemos fazer transferência de escola. Falamos com o encarregado de educação para que perceba que o filho acabou de perder espaço de convivência interna e a partir daí vai ter grandes dificuldades de relacionamento com os pares. Porque é o que se verifica. São excluídos".

Ouvido pelo DN, na sequência destas afirmações, o Ministério da Defesa fez saber que pediu explicações ao CEME e considerou "absolutamente inaceitável qualquer situação de discriminação, seja por questões de orientação sexual ou quaisquer outras, conforme determinam a Constituição e a Lei".

Desde então, sucederam-se posições públicas de oficiais na reserva a condenar a atitude do ministro da Defesa e a Associação de Oficiais das Forças Armadas (AOFA) lamentou a demissão, considerando que a atitude do ministro foi "institucionalmente incorreta".

Para Pedro Roque, o ministro deveria ter conduzido a situação que decorreu de declarações públicas do subdiretor do Colégio Militar "de forma mais reservada".

Pelo PS, o deputado Miguel Medeiros recusou que a comissão se transforme num "tribunal da opinião pública" mas mostrou-se favorável a que Azeredo Lopes preste esclarecimentos no próximo dia 26 uma vez que já estava prevista uma audição para aquela data.

O socialista defendeu a atuação do ministro da Defesa neste caso, afirmando que "o que se sabe é que emitiu uma nota muito simples a solicitar à chefia militar que esclarecesse a situação" já que, considerou, das declarações do subdiretor do Colégio Militar "transparecia alguma resignação" face a situações de discriminação em função da orientação sexual.

Por outro lado, o deputado do BE João Vasconcelos pediu para adiar a discussão do seu requerimento para ouvir o general Carlos Jerónimo, argumentando que pretendia reavaliar a necessidade dessa audição após ser ouvido o ministro da Defesa.

À margem da comissão, o líder parlamentar do BE, Pedro Filipe Soares, considerou que a atitude do ministro foi "aceitável e defensável" ao afirmar que a Constituição da República condena a discriminação de cidadãos em função da orientação sexual.

O requerimento do BE entregue na comissão de Defesa visava questionar o ex-CEME sobre se tinha conhecimento de situações de discriminação em função da orientação sexual no Colégio Militar e sobre as medidas tomadas para as contrariar.

Para o deputado do CDS-PP António Carlos Monteiro, "é fulcral" ouvir o ministro da Defesa numa altura em que "há matérias relativas ao relacionamento entre ministro e a instituição militar que neste momento são motivo de preocupação do ponto de vista político".

Lusa

  • Voluntários portugueses rumam ao México com cães de salvamento
    1:59

    Mundo

    Nuno Vieira e Marco Saraiva são voluntários de Braga. Com os seus dois cães, "Koi" e "Yuki", formam uma equipa de resgate e partem esta noite para o México, para ajudar na busca e salvamento de vítimas do terramoto que abalou o país esta terça-feira. A equipa portuguesa faz parte de uma ONG espanhola.

  • Furacão Maria deixa rasto de destruição em Porto Rico
    1:16
  • "Desistam desta escalada de radicalismo e desobediência"
    3:35
  • Como acabar com o cyberbulling? Os internautas aconselham Melania Trump

    Mundo

    Melania Trump está a ser alvo de piadas na internet, depois de ter dado um discurso, a propósito da Assembleia-Geral da ONU, sobre cyberbulling. Uns destacaram que a primeira-dama estava a falar de pobreza com um vestido de 3.000 dólares (cerca de 2.500 euros). Outros lembraram a ironia do discurso com as atitudes de Donald Trump, acusando-o de ser um bullie, que deveria ser parado, e que o primeiro passo seria impedir a presença o Presidente norte-americano no Twitter.

    SIC

  • Sabe onde fica a Nambia? Algures em África, segundo Trump

    Mundo

    "O sistema de saúde na Nambia é incrivelmente autossuficiente", declarou o Presidente dos Estados Unidos num discurso proferido num almoço com líderes africanos. No encontro, realizado esta quarta-feira à margem da 72.ª Assembleia-Geral da ONU, em Nova Iorque, Donald Trump repetiu o erro. Os utilizadores das redes sociais não perdoaram mais este "lapso" do chefe de Estado norte-americano.

  • DGS garante que não há perigo de dengue
    2:09

    País

    Foi detectada em Penafiel a presença de uma espécie de mosquito potencialmente transmissora de dengue. No entanto, a diretor-geral da Saúde, Francisco George, garante que nenhum dos mosquitos estava infetado, não havendo assim riscos para a saúde humana. O mosquito de origem asiática já se espalhou por vários países europeus.

  • José Cid denuncia poluição em ribeira de Mogofores
    2:03

    País

    Uma descarga poluente matou peixes e outros seres vivos num curso de água que alimenta o rio Cértima, em Anadia. Um dos moradores revoltados com o cenário é o cantor José Cid, proprietário de uma quinta onde passa a ribeira, cuja água é habitualmente usada para regar os campos agrícolas.

  • Contra a endogamia académica
    2:40

    País

    As universidades públicas contratam sobretudo professores formados na própria instituição. O estudo recente da Direção-geral de Estatísticas da Educação e Ciência revela que o mérito não tem sido o requisito privilegiado. A endogamia académica é o conceito que se tenta agora inverter a bem da qualidade cientêntifica, da criatividade e da inovação.

  • Episódio da Abelha Maia censurado por queixas de obscenidade

    Cultura

    A plataforma digital Netflix viu-se obrigada a retirar um episódio da Abelha Maia depois das queixas de pais norte-americanos por causa de um "desenho obsceno", em forma de pénis. Aparentemente, terá sido só removido para quem acede nos EUA dado que, ao que a SIC pôde constatar, a partir de Portugal o episódio 35 está disponível.

  • Yoko Ono obriga limonada "John Lemon" a mudar de nome

    Cultura

    A viúva do Beatle John Lennon ameaçou processar uma empresa de bebidas polaca por causa da limonada "John Lemon". Yoko Ono não terá gostado do trocadilho entre Lennon e Lemon (limão, em inglês) e quer ver toda e qualquer garrafa com este rótulo retirada do mercado.