sicnot

Perfil

País

Portugueses com nível baixo de escolaridade e pouca vontade de melhorar

O perfil médio de escolaridade dos portugueses adultos é "bastante baixo" a nível da Europa, e mesmo assim os que procuram melhorar qualificações são uma minoria, indica um estudo que é hoje divulgado em Lisboa.

CARLOS BARROSO

O estudo, com o objetivo de aprofundar o conhecimento da importância social da educação em Portugal, envolveu 1.201 entrevistas com pessoas (mais de 18 anos) de todo o país, a maioria (63%) com escolaridade inferior ao 9.º ano.

Das conclusões salienta-se que só uma minoria dos entrevistados procura melhorar as qualificações ao longo da vida (ainda que quando o fazem quase sempre cumprem o objetivo), sendo os mais escolarizados os que também mais procuram aumentar o nível na educação.

"Apenas 13% dos inquiridos com escolaridade até ao nível básico 2 o fizeram", uma percentagem que sobe para 30% para os mais escolarizados, indica-se no documento.

Apesar de grande parte dos inquiridos (62%) dizer que gostaria de ter mais estudos, só 28% tem intenção de voltar a estudar. Com o aumento da idade "diminui acentuadamente" a intenção de voltar à escola, conclui-se também.

Na área da educação, formação e vida profissional mais de 80% dos inquiridos respondeu que considera útil os estudos obtidos e 68% disse que as qualificações escolares eram suficientes (atendendo ao trabalho que fazem), com os restantes a dizerem que esse estudos ou eram superiores ou inferiores ao que necessitavam. A maioria (67%) disse que os estudos eram suficientes para permitir progressão profissional.

O estudo, EDULOG, Think Tank da Educação, da Fundação Belmiro de Azevedo, analisa a relação família e escola e conclui que quanto mais baixo é o nível de ensino dos pais mais probabilidade há de os filhos terem reprovado.

"Observa-se uma relação muito acentuada entre a escolaridade e a ajuda prestada pelos pais nas atividades da escola. Mais de 90% dos pais com ensino superior declara ajudar habitualmente os filhos nas atividades escolares", mas "apenas 21% dos inquiridos com escolaridade até ao básico 1 declaram ajudar os filhos nessas atividades", um terço a assumir que não o faz porque não consegue.

Mais de 80 por cento dos inquiridos deu grande importância à educação, não só para melhor compreender o mundo mas também como fator decisivo na área profissional, mas ainda assim 52% considerou que se atribui hoje demasiada importância à educação e à escola.

O estudo sobre o valor atribuído pelos portugueses à educação foi conduzido por Patrícia Ávilla, do ISCTE (Universidade), e por Carlos Liz, da IPOS APEME (empresa de análise e estudo de mercados).

O estudo é apresentado no Convento do Beato, em Lisboa.

Lusa

  • "Sempre nos disseram que bastava o Aves ganhar para estar na Liga Europa"
    0:34

    Desporto

    O Presidente da SAD do Desportivo das Aves garante que não houve esquecimento ou atraso na inscrição do clube na Liga Europa. Luiz Andrade afirma que sempre lhe disseram que bastava vencer a Taça de Portugal para marcar presença na competição e que ainda não sabe se o clube pode ou não jogar a fase de grupos da competição europeia.

  • "Fui violada por Harvey Weinstein aqui em Cannes"
    1:02

    Cultura

    A cerimónia de encerramento do Festival de Cinema de Cannes ficou ainda marcada pelo discurso de Asia Argento. A atriz italiana que acusou Harvey Weinstein de a ter violado justamente numa das edições do festival de Cannes, e que há mais abusadores à solta.

  • As primeiras imagens das quatro crias da lince Malva
    0:20
  • Exército sírio declara Damasco "totalmente segura"

    Mundo

    O exército sírio proclamou esta segunda-feira a capital Damasco e também os arredores, como locais "totalmente seguros". O anúncio foi feito em clima de festa, depois de os militares terem reconquistado os bairros do sul da cidade, até agora nas mãos do Daesh.