sicnot

Perfil

País

Rastreios gratuitos à voz a partir de hoje no Hospital Egas Moniz

O Hospital Egas Moniz, em Lisboa, realiza a partir de hoje e durante três dias rastreios gratuitos às cordas vocais, como forma de assinalar o Dia Mundial da Voz, que se comemora no sábado.

(Arquivo)

Segundo os organizadores da iniciativa, os rastreios serão acompanhados por animação cultural, com pequenas atuações de atores que fazem a prevenção da sua saúde vocal na Unidade de Voz do Hospital Egas Moniz.

"É crucial para a saúde vocal dos portugueses que as pessoas, regularmente, façam um exame às suas cordas vocais. É isso que permite fazer o diagnóstico precoce de várias doenças, entre as quais o cancro da laringe", explica, em comunicado, a médica cirurgiã Clara Capucho, coordenadora da Unidade do Egas Moniz e que acompanha há anos os artistas cooperadores da Fundação Gestão dos Direitos dos Artistas.

As comemorações do Dia Mundial da Voz vão ainda contar com um espetáculo no Teatro Ibérico, em Lisboa, na sexta-feira à noite, e que pretende celebrar "A voz no espaço da representação". O espetáculo, conduzido pelo tenor Luís Madureira, contará com a participação de artistas como os cantores Miguel Gameiro, Miguel Ângelo, Nuno Guerreiro, Paulo de Carvalho e Agir, Emanuel, Olavo Bilac, Anjos, Gonçalo Tavares, o tenor Jorge Baptista da Silva e a soprano Ana Madalena Moreira, ou atriz Eunice Munhoz.

Antes do espetáculo vai ser assinado um protocolo entre os serviços sociais da Câmara de Lisboa e a Fundação Gestão dos Direitos dos Artistas para permitir aos artistas acederem a consultas de voz, com laringoscopia incluída, a preços comparticipados pela Fundação.

A receita do evento reverterá a favor da Liga dos Amigos do Hospital Egas Moniz, que a promete aplicar na vinda a Portugal de Jean-Paul Marie, cirurgião francês e um dos poucos no mundo que faz a re-enervação de cordas vocais.

Lusa

  • Descida da TSU inconstitucional?
    2:37

    TSU

    Especialistas ouvidos pela SIC põem em causa a constitucionalidade da descida da Taxa Social Única dos patrões, como contrapartida pelo aumento do salário mínimo. Como se trata de um imposto pago pelas empresas, só o Parlamento pode decidir uma alteração nas taxas. Neste caso, o Governo decidiu sozinho.

  • Autocarro com seguranças atacado em Braga
    0:42

    Desporto

    Dois autocarros que transportavam elementos de uma empresa de segurança foram atingidos por tiros e pedras depois do jogo entre o Sporting de Braga e o Vitória de Guimarães. O ataque deu-se a poucos quilómetros do Estádio Municipal de Braga. A PSP e a PJ estiveram no local a recolher provas.