sicnot

Perfil

País

Rastreios gratuitos à voz a partir de hoje no Hospital Egas Moniz

O Hospital Egas Moniz, em Lisboa, realiza a partir de hoje e durante três dias rastreios gratuitos às cordas vocais, como forma de assinalar o Dia Mundial da Voz, que se comemora no sábado.

(Arquivo)

Segundo os organizadores da iniciativa, os rastreios serão acompanhados por animação cultural, com pequenas atuações de atores que fazem a prevenção da sua saúde vocal na Unidade de Voz do Hospital Egas Moniz.

"É crucial para a saúde vocal dos portugueses que as pessoas, regularmente, façam um exame às suas cordas vocais. É isso que permite fazer o diagnóstico precoce de várias doenças, entre as quais o cancro da laringe", explica, em comunicado, a médica cirurgiã Clara Capucho, coordenadora da Unidade do Egas Moniz e que acompanha há anos os artistas cooperadores da Fundação Gestão dos Direitos dos Artistas.

As comemorações do Dia Mundial da Voz vão ainda contar com um espetáculo no Teatro Ibérico, em Lisboa, na sexta-feira à noite, e que pretende celebrar "A voz no espaço da representação". O espetáculo, conduzido pelo tenor Luís Madureira, contará com a participação de artistas como os cantores Miguel Gameiro, Miguel Ângelo, Nuno Guerreiro, Paulo de Carvalho e Agir, Emanuel, Olavo Bilac, Anjos, Gonçalo Tavares, o tenor Jorge Baptista da Silva e a soprano Ana Madalena Moreira, ou atriz Eunice Munhoz.

Antes do espetáculo vai ser assinado um protocolo entre os serviços sociais da Câmara de Lisboa e a Fundação Gestão dos Direitos dos Artistas para permitir aos artistas acederem a consultas de voz, com laringoscopia incluída, a preços comparticipados pela Fundação.

A receita do evento reverterá a favor da Liga dos Amigos do Hospital Egas Moniz, que a promete aplicar na vinda a Portugal de Jean-Paul Marie, cirurgião francês e um dos poucos no mundo que faz a re-enervação de cordas vocais.

Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18
  • Jornalista que denunciou corrupção do Governo de Malta morre em explosão

    Mundo

    A jornalista Daphne Caruana Galizia, que acusou o Governo de Malta de corrupção, morreu esta segunda-feira, numa explosão de carro. O ataque acontece duas semanas depois de a jornalista maltesa recorrer à polícia, para dizer que estava a receber ameaças de morte. A morte acontece quatro meses após a vitória do Partido Trabalhista de Joseph Muscat, nas eleições antecipadas pelo primeiro-ministro, após as alegações da jornalista, que o ligavam a si e à sua mulher ao escândalo dos Panama Papers. O casal negou as acusações de que teriam usado uma offshore para esconder pagamentos do Governo do Azerbaijão.