sicnot

Perfil

País

Suspensas obras de extensão do Passeio Marítimo de Oeiras

O Tribunal Administrativo e Fiscal de Sintra suspendeu provisoriamente as obras de extensão do Passeio Marítimo de Oeiras, na zona de Caxias, na sequência de uma providência cautelar interposta pela associação Vamos Salvar o Jamor, anunciou hoje esta entidade.

facebook.com/Vamos-Salvar-O-Jamor

A Câmara de Oeiras assegurou, contudo, que não foi notificada para responder a qualquer providência cautelar e sublinhou que a obra "decorreu do cumprimento de todos os trâmites legais e técnicos exigidos e obteve pareceres favoráveis de todas as instituições competentes".

Em declarações à agência Lusa, o presidente da associação, Carlos Branco, disse que o tribunal fundamentou a sua decisão com base nos mesmos argumentos expostos pelo grupo, relacionados com o risco de destruição da praia de Caxias e da vida marinha daquela zona ribeirinha.

"As obras são ilegais, não há nenhum estudo de impacte ambiental e há um receio fundamentado, com o qual o tribunal concordou, de que sejam irreversíveis", referiu.

Carlos Branco sublinhou que a obra irá fazer desaparecer a praia de Caxias, além das consequências ambientais na orla costeira e na fauna marinha.

O responsável mostrou-se satisfeito com a decisão judicial, mas sublinhou que a suspensão das obras é provisória e que o tribunal terá de ouvir a Câmara de Oeiras para depois tomar uma decisão final sobre a providência cautelar.

"Uma decisão destas por parte do tribunal, a confirmar-se, virá lesar sobretudo a população. Em termos ambientais, traria prejuízos inestimáveis, pois ali ficaria um estaleiro parado, a céu aberto, com todas as implicações ambientais e de segurança pública que tal implicaria. Estamos a meio da obra", afirmou o presidente da autarquia, Paulo Vistas, numa nota enviada à Lusa.

O autarca diz haver um "aproveitamento demagógico por parte de alguém sem rosto que se esconde atrás de uma associação, curiosamente, logo na aproximação das eleições autárquicas de 2017".

Paulo Vistas refere ainda que a obra em causa, com cerca de dois quilómetros de extensão e que inclui circuitos pedonal e ciclável, consiste em "mais um troço de um objetivo maior, que é ligar Algés a Oeiras".

Além disso, conclui, quem irá suportar os custos da eventual paragem da obra será a população, já que a indemnização ao empreiteiro sairá dos bolsos dos contribuintes.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".