sicnot

Perfil

País

Taxistas apelam à solidariedade de todos na "luta contra a Uber"

As associações do setor dos táxis vão apelar à população para se solidarizar na "luta contra a Uber", exigindo ao Governo que acabe com aquele serviço de transporte privado, segundo um manifesto a que a Lusa teve hoje acesso.

MÁRIO CRUZ/LUSA

No manifesto, que será distribuído a partir do dia 22, a Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL) e Federação Portuguesa do Táxi (FPT) defendem que a Uber é ilegal porque "não respeita, não obedece, nem se submete às regras legais que em Portugal disciplinam a atividade do transporte em táxi".

As associações referem ainda que aquela plataforma (disponível através de uma aplicação online) cobra o que entende e aumenta os preços em épocas de maior procura, lê-se no manifesto que foi hoje entregue ao Governo e ao Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT).

As viaturas "não estão equipadas, identificadas, nem licenciadas [...] ou autorizadas para a atividade que executam", acusam ainda a ANTRAL e a FPT, acrescentando que os condutores não têm certificado profissional para o exercício da atividade.

Segundo as associações, nenhum dos intervenientes na atividade da Uber - angariador de serviços, proprietário da viatura e condutor - paga impostos ou segurança social, tal como não é abrangido pelos seguros obrigatórios por lei para o setor do transporte de passageiros.

Por tudo isso, exigem ao Governo a "atuação adequada à eliminação de uma atividade que é ilegal" e pedem a "ajuda de todos os cidadãos" neste processo.

Ao longo dos últimos meses, os taxistas têm vindo a intensificar o protesto contra o serviço da Uber.

Em março, o Ministério do Ambiente (que tutela esta área), apresentou um pacote de 10 medidas para a modernização do setor do táxi, num investimento de 17 milhões de euros, mas os taxistas consideraram tratar-se de uma moeda de troca para abrir a porta à regulamentação da Uber.

Lusa

  • Taxistas prometem continuar a lutar contra a Uber
    1:47

    Economia

    A Federação Portuguesa do Táxi e a ANTRAL discutiram o apoio de 17 milhões de euros para a modernização do setor. As medidas apresentadas pelo Governo foram aprovadas, mas os taxistas prometem continuar a protestar pela suspensão da atividade da Uber em Portugal. As associações do setor estão a estudar novas formas de luta já para o final do mês.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.