sicnot

Perfil

País

Novos manuais escolares vão estar ligados ao telemóvel

Os alunos vão poder optar por uma solução que aplica aos manuais escolares a tecnologia da realidade aumentada, associando os livros ao telemóvel, anunciou hoje a Porto Editora.

A editora desenvolveu uma aplicação gratuita, para Android, IOS e, em breve, para Windows, que, uma vez instalada no telemóvel, vai reconhecer o manual escolar através da capa e permitir a consulta de conteúdos multimédia em contexto, ou seja, à medida que o aluno vai evoluindo na exploração do livro, explica uma informação da empresa.

Esses conteúdos estão sinalizados no manual, bastando apontar o telemóvel para as páginas que estão assinaladas com o ícone da aplicação.

Os primeiros manuais híbridos correspondem aos novos livros escolares que vão entrar em vigor no próximo ano letivo: Inglês do 4.º ano de escolaridade, Português, Matemática, Ciências Naturais, História e Geografia de Portugal e Educação Musical do 5.º ano, Física e Química A, Matemática A, Matemática B, Matemática Aplicada às Ciências Sociais e Português dos cursos científico-humanísticos do 11.º ano de escolaridade.

Estes novos manuais vão chegar às livrarias no próximo verão, garante a Porto Editora, "não tendo qualquer alteração de preço ou custo adicional", devendo o conceito dos manuais híbridos ser alargado aos outros anos de escolaridade à medida que forem entrando em vigor os novos manuais escolares.

O novo conceito foi desenvolvido ao longo de ano e meio e envolveu dezenas de profissionais da divisão editorial escolar e dos departamentos multimédia e de investigação.

"Na procura de promover a autonomia das aprendizagens, a tendência é a personalização dos recursos educativos e é esse caminho que estamos a seguir, e quando o aluno está a estudar em casa, queremos que ele tenho recursos coerentes, diversificados e complementares, que lhe facilitem as aprendizagens e que possam também promover o acompanhamento dos pais e encarregados de educação, no caso dos mais jovens", explica na nota Vasco Teixeira, administrador e diretor editorial.

Lusa

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.