sicnot

Perfil

País

Há condições para um "bom ano" no que respeita a incêndios, diz secretário de Estado

O secretário de Estado da Administração Interna disse hoje em Faro que existem todas as condições para que 2016 seja um "bom ano" no que respeita a incêndios florestais, mas avisou que no Algarve é preciso ter "atenção redobrada".

(arquivo)

(arquivo)

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

De acordo com Jorge Gomes, que falava à margem da apresentação do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF) para o Algarve, a estrutura de combate aos fogos está organizada para que todos os recursos humanos e materiais estejam operacionais, no terreno.

O governante disse que este ano estarão disponíveis, no país, 47 meios aéreos para combate aos fogos e que a "única alteração" relativamente ao ano passado diz respeito a dois helicópteros pesados Kamov, que vão ser reparados e só deverão estar disponíveis em 2017.

O responsável aludiu ainda a um terceiro Kamov que não está operacional, por estar danificado.

Questionado pelos jornalistas sobre a existência, no ano passado, de seis helicópteros Kamov no país, Jorge Gomes frisou que existiam "seis em papel e três operacionais", estimando que para o ano estejam "os cinco a funcionar, ou mesmo os seis".

O governante negou que esteja previsto novo concurso para a obtenção de meios aéreos.

Durante a apresentação do DECIF para o Algarve, o secretário de Estado da Administração Interna observou que Faro é "um distrito complexo e complicado, pelas suas áreas ardidas e ignições constantes, mas também por ser um dos que maior influência têm na captação de divisas" para o turismo.

Na mesma ocasião, o comandante operacional de Agrupamento do Algarve, Vítor Vaz Pinto, anunciou que vai ser criada este ano, para a região, uma Equipa de Planeamento, Operações e Informação (EPOI) que funcionará como equipa de apoio à célula de operações.

Será também constituído mais um Grupo de Combate a Incêndios Florestais (GCIF), sempre que declarado para a região o estado de alerta especial do Sistema Integrado de Operações de Proteção e Socorro para o DECIF, de nível laranja ou superior.

Haverá ainda mais duas equipas de sapadores florestais e uma Equipa Municipal de Intervenção Florestal.

O dispositivo para este ano na região alcança, como habitualmente, a sua maior mobilização na fase Charlie, entre 01 de julho e 30 de setembro, fase em que estarão empenhados 525 elementos e 124 veículos.

Na fase Bravo, de 15 de maio a 30 de junho, estarão disponíveis 420 elementos e 95 veículos e, na fase Delta, de 01 a 31 de outubro, 333 elementos e 79 veículos.

Lusa

  • Incêndios em Portugal - um mês depois
    9:10

    Reportagem Especial

    Regressar a casa para refazer a vida é tudo o que querem as famílias a quem o fogo levou quase tudo, há cerca de um mês. Contudo, esse regresso não tem sido fácil. Depois dos incêndios, famílias e empresas ainda têm de vencer as burocracias. A Reportagem Especial deste sábado regressa a Seia, onde arderam mais de 70 casas de primeira habitação e onde a vida de muitos parece ter entrado num impasse.

  • CIP contra 600€ de salário mínimo, ameaça boicatar iniciativas do governo
    1:28

    Economia

    O presidente da Confederação Empresarial de Portugal (CIP) está contra o aumento do salário mínimo para 600€. Em entrevista conjunta à Antena1 e ao Jornal de Negócios, o presidente António Saraiva considerou a proposta "uma luta partidária" dos comunistas com o Bloco de Esquerda" e ameaça boicotar a presença em iniciativas publicas, promovidas pelo executivo.