sicnot

Perfil

País

Ministro anuncia alargamento do pré-escolar dos 3 aos 5 anos

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, anunciou hoje, em Coimbra, o alargamento do pré-escolar para as crianças de 4 anos de idade e, a partir de 2018/2019, para as de 3 anos.

(arquivo)

(arquivo)

reuters

Até 2018, o ensino pré-escolar abrangerá as crianças de 4 anos de idade e será preparada "a universalização aos 3 anos", com base em projeções demográficas, de modo a que, em 2020, a educação pré-escolar abranja todas a crianças a partir dos 3 anos de idade, disse Tiago Brandão Rodrigues.

Pretende-se, com o programa do alargamento do ensino pré-escolar que, "paulatinamente, todas as crianças com 5, 4 e 3 anos" tenham acesso ao pré-escolar, disse o ministro, que falava aos jornalistas, hoje, ao final da manhã, à margem da apresentação do eixo "Qualificar os portugueses", do Programa Nacional de Reformas (PNR), em que também participou o titular da pasta do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José António Vieira da Silva.

"Sabemos que, neste momento, o país tem assimetrias enormes e temos de melhorar a oferta", reconheceu Tiago Brandão Rodrigues.

Por isso, está a ser feita "uma leitura cuidada da rede existente", nesta área, para ser completada de modo que, "até 2020, possamos ter essa universalização do pré-escolar", adiantou.

Com esse estudo, será possível "entender quais são as necessidades mais prementes" e, "em articulação com a rede solidária", encontrar "respostas efetivas" para alcançar essa universalização, explicitou o governante.

"A frequência de crianças no ensino pré-escolar é estimuladora de percursos escolares com maior sucesso", sustentou Tiago Brandão Rodrigues.

Além desta, o eixo "Qualificar os portugueses", do PNR, prevê, na área da educação, outras medidas como "a educação a tempo inteiro", visando "proporcionar a todos o acesso a atividades de enriquecimento curricular até final do ensino básico, em parceria com municípios, associações e clubes locais, para proporcionar acesso mais alargado a atividades", referiu o ministro durante a sessão, que decorreu no auditório do Conservatório de Música de Coimbra.

O reforço da ação social escolar, a progressiva gratuitidade dos manuais escolares, o desenvolvimento da educação e formação profissional são outros aspetos igualmente preconizados neste eixo do "Qualificar os portugueses", do qual também faz parte o Programa Nacional de Promoção do Sucesso Escolar.

Este programa foi anunciado no final de março e está nas fases de formação de formadores, que deverão decorrer até final de junho.

O eixo "Qualificar os portugueses" projeta ainda a modernização do sistema de ensino e dos modelos e instrumentos de aprendizagem, designadamente através da "produção e disseminação de recursos educativos digitais" e da "criação de plataformas nacionais de gestão da informação, monitorização e avaliação", entre outras medidas.

O programa visa promover o sucesso escolar, em todos os níveis de ensino, combater o abandono escolar, generalizar o ensino secundário e inovar o sistema educativo.

Lusa

  • "Sobre este pântano, não é possível jogar futebol seriamente na próxima época"
    4:46

    Opinião

    David Borges esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, da SIC Notícias, onde analisou as acusações do FC Porto ao Benfica, no caso dos e-mails. O comentador da SIC disse que falta saber se "tudo é verdade" e se os documentos são verdadeiros, o que compete ao Ministério Público apurar. David Borges defendeu ainda que era "bom" que a investigação decorresse de forma rápida e profunda; e não acredita que perante a polémica, se consiga jogar "futebol seriamente", na próxima época.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Metade dos moradores de Sandinha recusaram sair das casas
    3:14
  • Habitantes de Várzeas tentam regressar à normalidade
    2:48
  • Corpos da tragédia em Pedrógão guardados em camião de alimentos
    8:11

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Duarte Nuno Vieira, médico legista, esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, para comentar o que já foi feito e o que falta fazer em Pedrógão Grande, depois de ter sido atingido pelos incêndios. O presidente do Conselho Europeu de Medicina Legal defendeu que guardar os corpos das vítimas mortais num camião de alimentos foi uma "maneira de solucionar o problema da forma possível", visto que não há espaço no Instituto Nacional De Medicina Legal.

  • Trump volta a garantir que não tentou interferir na investigação do FBI
    0:17

    Mundo

    O Presidente dos EUA reitera que não tentou interferir na investigação do FBI em relação às alegadas interferências da Rússia nas eleições presidenciais. Questionado sobre as gravações das conversas que manteve com o ex-diretor da polícia de investigação, James Comey, Donald Trump prometeu esclarecimentos num futuro breve.

  • "A informação pode ter saído depois da hora do exame de Português"
    1:19

    País

    O presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais diz que é preciso aguardar pelas conclusões do relatório sobre a alegada fuga de informação do exame nacional de Português. Jorge Ascensão defende que a investigação deve causar o mínimo de impacto aos alunos que realizaram a prova.