sicnot

Perfil

País

Número de beneficiários do Complemento Solidário para Idosos aumentou em março

Mais 568 pessoas receberam o Complemento Solidário para Idosos em março, face ao mês de fevereiro, totalizando 166.055 beneficiários, revelam dados do Instituto da Segurança Social (ISS).

Comparando com o período homólogo de 2015, mês em que 168.940 idosos receberam esta prestação social, verificou-se menos 2.885 beneficiários em março deste ano.

Segundo os dados, publicados no site da Segurança Social, a maior parte dos beneficiários reside no distrito do Porto (26.479), seguindo-se Lisboa (24.364), Braga (12.572) e Setúbal (11.443).

Entre as 165.055 pessoas que receberam esta prestação social, 115.590 eram mulheres e 49.695 homens, acrescentam as estatísticas da Segurança Social, atualizadas hoje.

O Complemento Solidário para Idosos é um apoio em dinheiro pago mensalmente às pessoas com mais de 66 anos, com baixos recursos financeiros.

Em janeiro, o valor de referência do Complemento Solidário para Idosos aumentou para os 5.059,00 euros por ano, ou seja 421,58 euros por mês.

Lusa

  • Brinquedos tecnológicos para oferecer no Natal
    5:33
  • Aniversário de Marcelo passado nas comemorações dos 700 anos da Marinha
    1:45

    País

    O Presidente da República defende que é preciso continuar a investir na Armada, nas pessoas, nas capacidades e no apoio de retaguarda. No dia em que fez 69 anos, Marcelo Rebelo de Sousa esteve nas comemorações dos 700 da Marinha, onde sublinhou os sete séculos de conquistas e de combates navais.

  • Rui Rio comprometeu-se a realizar apenas dois debates
    0:45

    País

    Rui Rio disse esta terça-feira que foi apanhado de surpresa com a mudança de posição de Pedro Santana Lopes, que exige três debates entre os dois candidatos à liderança do PSD nos canais generalistas. Rui Rio reiterou ainda que se comprometeu a fazer apenas dois debates.

  • Costa anuncia reunião sobre neutralidade carbónica em fevereiro
    2:03

    País

    O Presidente francês defende que é preciso ir mais longe e mais rápido na luta contra as alteração climáticas, numa resposta à decisão de Donald Trump de retirar os EUA do Acordo de Paris. Em fevereiro, será a vez de Portugal organizar uma reunião sobre energia e transportes.