sicnot

Perfil

País

Motociclista viaja do Algarve ao Nepal para apoiar vítimas do terramoto de 2015

Um motociclista português vai iniciar a 25 de abril uma viagem de mais de 11.000 quilómetros, entre o Algarve e Katmandu, para recolher apoios para ajudar as vítimas do terramoto que destruiu a capital nepalesa, em 2015.

facebook/ExpedicaoNepal

A moto de 125 centímetros cúbicos deverá arrancar do centro comercial Fórum Algarve, em Faro, pelas 12:00, e prevê-se que a "Expedição Nepal" chegue a Katmandu 45 dias depois, a 10 de junho, Dia de Portugal.

"Vou sozinho, esperando levar muita gente atrás. Ou seja, que as pessoas acompanhem a viagem através da página de facebook "Expedição Nepal", em que irão sendo relatados os acontecimentos e as notícias daquilo que irá acontecendo", explicou hoje à agência Lusa Artur Brito, 54 anos.

A ideia surgiu quando o amante de motos estava na internet e se deparou com o trabalho humanitário da Associação Obrigado Portugal e dos jovens Pedro Queirós e Lourenço Macedo, que se mantiveram no Nepal a apoiar pessoas afetadas pelo terramoto.

Artur Brito conta que ficou sensibilizado com o trabalho desenvolvido, sobretudo depois de tomar conhecimento do projeto "Our Dream Village", ainda em curso e que visa a construção de cerca de 220 casas para os mais atingidos pelo terramoto de 12 de maio de 2015.

"Pus-me em campo, apresentei a ideia à associação e eles ficaram entusiasmados. A partir daí, foi criar uma equipa que me pudesse ajudar e ir à procura dos apoios para viabilizar a viagem", explicou o motociclista, que perdeu a perna esquerda num acidente de moto, há 25 anos.

Um dos apoios à "Expedição Nepal" veio da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML), que Artur Brito bem conhece, já que foi acolhido na instituição aos seis meses e ali esteve até aos quatro anos, idade em que foi adotado.

"Pelo acentuado caráter solidário e simbólico desta iniciativa, a SCML entra nesta aventura única com Artur Brito, patrocinando a viagem e reforçando os laços com este filho da casa, já que se trata de um exemplo de coragem e de solidariedade, valores espelhados nesta expedição", refere a instituição, em comunicado.

A Associação Obrigado Portugal irá depois canalizar os fundos angariados ao longo da viagem e materiais de construção para o destino -- Campo Esperança, em Katmandu -, "dando continuidade ao trabalho de reconstrução já iniciado e proporcionando o realojamento de várias famílias afetadas pelo terramoto", acrescenta a nota da Misericórdia de Lisboa.

Lusa

  • "O que mais tem havido nesta altura são respostas precipitadas"
    7:21

    Opinião

    Foi um "debate contigo" o de hoje, no Parlamento, sobretudo no frente-a-frente entre António Costa e Passos Coelho, na opinião de Bernardo Ferrão. O subdiretor de informação da SIC sublinha uma declaração "mortal" do primeiro-ministro, quando este disse que "ninguém quer respostas precipitadas". Por outro lado, a comissão técnica independente pedida pelo PSD pode virar-se contra o próprio partido.

    Bernardo Ferrão

  • NotPetya: Lourenço Medeiros explica o novo ciberataque global
    2:44

    Mundo

    A Ucrânia está a ser seriamente afetada por um novo ataque informático. Algumas empresas de grande dimensão estão a ser prejudicadas, agravando a dimensão global do ataque, o qual não parece ser dirigido a ninguém em concreto. Ontem, nas primeiras horas do ataque, não parava de crescer o número de vítimas.

  • Caricaturas de Trump invadem capital do Irão

    Mundo

    O Irão está a organizar um concurso internacional de caricaturas do Presidente norte-americano Donald Trump. Pelas ruas de Teerão já vão surgindo algumas imagens alusivas ao festival que vai realizar-se no próximo mês de julho.

  • Companhia aérea obriga deficiente físico a entrar no avião sem ajuda

    Mundo

    Um homem com uma deficiência física que o obriga a andar numa cadeira de rodas foi obrigado a subir sozinho as escadas de um avião da companhia aérea Vanilla Air. Hideto Kijima deparou-se com a situação quando estava a embarcar da ilha de Amami para Osaka, no Japão, com vários amigos que foram proibidos de o ajudar.