sicnot

Perfil

País

PSD quer que Ministério Público averigue se Mário Centeno mentiu

O deputado Luís Marques Guedes, do PSD, considerou hoje que o Ministério Público deve investigar se o ministro das Finanças, Mário Centeno, prestou um falso depoimento na comissão parlamentar de inquérito ao Banif, destacando que tal configura um crime público.

(LUSA/ ARQUIVO)

"O Ministério Público terá que apurar o depoimento falso" de Mário Centeno, afirmou Marques Guedes logo no arranque dos trabalhos de hoje da comissão de inquérito, sublinhando que este órgão tem "poderes de autoridade judiciária".

Por isso, "prestar falsas declarações na comissão parlamentar de inquérito é crime público", vincou.

O deputado do PSD apontou para as alegadas "contradições" entre as duas audições do ministro das Finanças nesta comissão, no que toca aos esforços que o governante terá desenvolvido junto da Comissão Europeia relativamente à venda do Banif ao Santander Totta no âmbito do processo de resolução.

E realçou: "A eficácia dos trabalhos desta comissão depende da verdade dos depoimentos. Se cada pessoa que chegar aqui faltar à verdade, então não estamos aqui a fazer nada".

Marques Guedes insistiu que na terça-feira, quando Centeno foi ouvido pela segunda vez nesta comissão, "ficou claro que existe uma contradição insanável" face às suas declarações prestadas a 07 de abril no parlamento.

O deputado social-democrata considerou que esta situação configura um crime público, pelo não é necessário que haja uma denúncia para que seja investigado pelo Ministério Público. "Há obrigação da autoridade atuar", assinalou.

Mais, Marques Guedes quer que este episódio sirva de exemplo para todos os responsáveis que ainda vão ser ouvidos pelos deputados da comissão de inquérito ao Banif.

"Não é possível fingir que andamos aqui a fazer de conta", sublinhou.

Daí, Marques Guedes solicitou ao presidente da comissão de inquérito, o deputado do PCP António Filipe, que sejam disponibilizados os depoimentos em causa ao Ministério Público.

"Em nome da comissão, só o farei se houver uma deliberação nesse sentido por parte da mesma", afirmou António Filipe.

Já Filipe Neto Brandão, deputado do PS, pediu a palavra para "repudiar veementemente a acusação de que o ministro das Finanças fez um depoimento falso", criticando as afirmações de Marques Guedes.

Na terça-feira, Centeno reiterou "todas as afirmações" que já prestou à comissão de inquérito ao Banif, falando numa "insinuação" do PSD em seu torno assente em "leituras parciais e enviesadas de documentos".

E realçou: "Reitero todas, sublinho todas, as afirmações que proferi nesta Assembleia, perante a comissão de inquérito e perante a comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa. Não aceito que me imputem falsidades sustentadas em truncagens dos factos e em leituras parciais e enviesadas de documentos. Estarei sempre disponível para contribuir para a descoberta da verdade, pois estou muito confortável com ela", advogou Mário Centeno.

O responsável falava na comissão de inquérito ao Banif, onde estava a ser ouvido pela segunda vez, depois de o PSD o ter acusado de prestar "um depoimento falso" no parlamento sobre o seu papel na venda do banco ao Santander Totta durante a sua primeira audição.

  • A proposta dos partidos para a redução da dívida
    1:55

    Economia

    O PS e o Bloco de Esquerda querem mais 45 anos para pagar as dívidas à UE e juros mais baixos. As medidas fazem parte da proposta para a redução da dívida pública. No relatório que será enviado ao Governo, não é pedido perdão da dívida como os partidos da esquerda chegaram a defender.

  • Ministros de Governos de Sócrates ouvidos pelo Ministério Público
    1:54
  • Suspeito de atropelamento mortal fala de acidente 
    2:00
  • "Têm um verdadeiro amigo na Casa Branca"

    Mundo

    O Presidente norte-americano reafirmou esta sexta-feira o apoio ao direito de porte de armas no país, sublinhando, numa convenção daquele 'lobby', que "o ataque de oito anos às liberdades consagradas no Artigo 2.º [da Constituição]" terminou.

  • A história de Macron e Brigitte Trogneux, 25 anos mais velha
    1:25

    Eleições França 2017

    A segunda volta das eleições francesas acontece já no próximo dia 7 de maio. Caso Emmanuel Macron seja eleito, o país terá como primeira-dama uma mulher 25 anos mais velha do que o Presidente. Brigitte Trogneux tem 64 anos e Macron 39, conheceram-se no liceu privado de jesuítas, em Amiens. Brigitte era a professora e Macron o aluno. Conheça a história do casal. 

  • Autoridades garantem ter evitado novo ataque terrorista em Londres
    0:59

    Mundo

    A polícia britânica garante que evitou um novo atentado em Londres. Mulher baleada faz parte das oito pessoas que foram detidas numa operação antiterrorista na capital britânica e no sul de Inglaterra. A operação realizou-se após a detenção de um homem com três facas, nas imediações do Parlamento britânico.

  • Presidente da Macedónia convocou reunião de emergência

    Mundo

    O Presidente da Macedónia, Gjorge Ivanov, convocou esta sexta-feira uma reunião de emergência com líderes políticos, após manifestantes, maioritariamente apoiantes da maioria conservadora, invadirem o Parlamento e atacarem deputados da oposição, fazendo 77 feridos.

  • Polícia espanhola divulga imagens de operação anti-jihadista

    Mundo

    A polícia espanhola divulgou esta sexta-feira novas imagens da operação anti-jihadista levada a cabo na terça-feira em Barcelona. Sabe-se agora que dois dos nove suspeitos detidos podem estar relacionados com a célula terrorista de Bruxelas, responsável pelos ataques no Aeroporto de Zaventem e no metro da capital belga.

  • Menina que nasceu com três pernas já corre

    Mundo

    Uma criança do Bangladesh que cresceu com três pernas vai regressar a casa, depois de uma viagem até à Austrália, onde foi operada para retirar o membro a mais. Como resultado de um gémeo que não se formou por completo, a criança de três anos nasceu com uma terceira perna na pélvis. Alguns meses após a cirurgia, feita em novembro, a menina já corre.