sicnot

Perfil

País

AR debate inclusão de vacina do rotavírus no Programa Nacional e extensão da HPV a rapazes

O parlamento discute na sexta-feira projetos de resolução que propõem a inclusão, no Programa Nacional de Vacinação, da vacina contra o rotavírus, bem como a extensão da vacina contra o vírus do papiloma humano (HPV) a jovens rapazes.

© Karoly Arvai / Reuters

O projeto de resolução apresentado pelo Bloco de Esquerda pretende que seja alargada "a indivíduos do sexo masculino a administração da vacina contra o HPV, lembrando que pode provocar nos homens cancro do ânus, do pénis, da cabeça e do pescoço.

A vacina contra o HPV foi introduzida no Programa Nacional de Vacinação em 2008, sendo portanto gratuita, e atualmente é administrada em duas doses a todas as raparigas entre os 10 e os 13 anos. O HPV pode provocar cancro do colo do útero.

Já o PCP defende, no seu projeto de resolução, que se alargue a vacina do HPV "para as raparigas e jovens até aos 25 anos", enquanto o Partido Ecologista Os Verdes (PEV) pede o alargamento a todas as raparigas e mulheres até aos 25 anos e a integração dos jovens do sexo masculino.

Comum aos três projetos de resolução é a recomendação de inclusão, no Programa de Vacinação, da vacina contra o rotavírus, responsável por gastroenterites agudas.

O PCP considera ainda que deve ser avaliado o benefício clínico para integrar a vacina contra a meningite B.

Nos seus projetos de resolução autónomos, o Bloco e o PCP recomendam ainda ao Governo que tome medidas para garantir a reposição de 'stocks' de vacinas que integram o Programa e que reduza a dependência do exterior quanto ao fornecimento de vacinas.

Lusa

  • Homem rompe a garganta ao tentar impedir espirro

    Mundo

    Impedir um espirro apertando o nariz pode causar sérias lesões. Foi o que aconteceu a um homem na Grã-Bretanha que teve de ser hospitalizado porque sofreu uma rutura na garganta ao apertar boca e nariz ao espirrar.

  • Reviravolta na Operação Fizz
    1:09

    País

    O juiz que vai julgar o chamado processo da Operação Fizz decidiu aceitar as denúncias de Orlando Figueira contra o presidente do Banco Atlântico e o advogado Daniel Proença de Carvalho. As acusações do principal arguido contra o banqueiro Carlos Silva e o advogado Proença de Carvalho podem trazer uma reviravolta ao processo.

  • "O grupo parlamentar do PSD vai ser um instrumento de força para ajudar Rui Rio"
    16:00