sicnot

Perfil

País

Governo quer investir 149 milhões de euros no auxílio às pessoas carenciadas

O Governo quer investir 149 milhões de euros na execução do Programa Operacional de Auxílio às Pessoas Mais Carenciadas, segundo o Programa Nacional de Reformas (PNR) 2016-2020 hoje aprovado em Conselho de Ministros.

(Reuters/Arquivo)

(Reuters/Arquivo)

REUTERS

Apoiado pelo Fundo Europeu de Auxílio às Pessoas Mais Carenciadas (FEAC), este programa encontra-se estruturado em duas medidas: Aquisição e distribuição de géneros alimentares e ou de bens de primeira e necessidade fornecimento de refeições diárias gratuitas.

Segundo o documento, o total das despesas do Estado, que incluem a contrapartida pública nacional necessária à execução do Portugal 2020, é de cerca de 149 milhões de euros.

O programa tem ainda a contribuição dos fundos da União Europeia no valor de cerca de 130 milhões de euros.

Outra das medidas do Plano Nacional de Reformas, na área da coesão e igualdade, é a realização de 138 contratos locais de desenvolvimento social, que representam um investimento total do Estado de 45,2 milhões de euros, dos quais 38,4 milhões resultam da contrapartida pública nacional necessária à execução do programa Portugal 2020.

Estes contratos visam "promover a inclusão social, de forma integrada e multissetorial, através de ações a executar em parceria que contribuirão para a empregabilidade, combate à pobreza e exclusão social".

Dinamizar a Rede Local de Intervenção Social também faz parte do Plano Nacional de Reformas, segundo o qual 146 municípios serão abrangidos por esta medida, que implica um investimento total de 50 milhões de euros, dos quais 42,5 são da contrapartida nacional para o Portugal 2020.

Com esta medida, o Governo pretende "dinamizar um modelo de organização e funcionamento da intervenção social de base local, em que se pretende apoiar os processos de atendimento, encaminhamento e acompanhamento social de pessoas e das pessoas em situações de risco e vulnerabilidade socioeconómica".

Lusa

  • Comunidade Islâmica de Lisboa organiza almoço para não muçulmanos carenciados
    2:48

    País

    A comunidade islâmica de Lisboa organizou um almoço de Natal para não muçulmanos carenciados. No Islão, o Natal não é comemorado mas a iniciativa com quase dez anos de tradição tem como objetivo mostrar a importância do respeito inter-religioso. Este ano, juntou perto de 400 pessoas de diferentes religiões na cantina da Mesquita de Lisboa.

  • Nasce associação que garante medicamentos para carenciados
    1:55

    País

    A Associação Dignitude foi criada para garantir o acesso de medicamentos às pessoas mais carenciadas. O projeto tem como embaixadores Maria de Belém, António Arnaut e Ramalho Eanes. O objetivo da associação é que, nos próximos três anos, sejam entregues medicamentos a meio milhão de portugueses.

  • Paulo Macedo pede calma para o bem do banco
    1:45

    Caso CGD

    Paulo Macedo falou pela primeira vez desde que foi eleito o novo Presidente da Caixa Geral de Depósitos e, para o bem do banco público, pediu calma a todos. Passos Coelho veio dizer que a recapitalização da Caixa pode ter de ser feita no verão do próximo ano para salvaguardar o défice deste ano. Já António Costa preferiu não comentar as declarações de Passos e diz que o banco público há muito que precisava de ser recapitalizado.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59
  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados". Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade.