sicnot

Perfil

País

Governo garante pagamento das verbas para refugiados recolocados

O Ministério da Administração Interna (MAI) esclareceu hoje que a União Europeia só transferiu em abril as verbas relativas aos refugiados recolocados e garantiu que nas próximas semanas serão feitos os pagamentos às instituições que os acolhem.

© Alkis Konstantinidis / Reuter

A informação do MAI surge depois de o Conselho Português para os Refugiados (CPR) ter revelado, na sexta-feira, que só recebeu verbas comunitárias para quatro dos 47 refugiados recolocados que recebeu desde dezembro, acusando o Governo de não estar a tratar o processo com a urgência devida.

Segundo a presidente do CPR, Teresa Tito Morais, o organismo recebeu, até agora, 47 refugiados ao abrigo do programa de recolocação, tendo os primeiros quatro chegado a Portugal em dezembro de 2015 e os restantes distribuídos por fevereiro, março e abril.

Destes 47, o CPR recebeu apenas 50% da verba devida pelas primeiras quatro pessoas, no caso quatro adultos, quantia proveniente de fundos comunitários, mas gerida pela Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna.

Questionado pela agência Lusa, o MAI esclareceu que "a verba transferida pela União Europeia apenas ficou disponível no corrente mês de abril".

A explicação para isso estará no "cumprimento dos trâmites necessários, previstos no sistema de gestão e controlo imposto pela União Europeia, incluindo os requisitos da entidade de Auditoria da Inspeção-geral de Finanças".

De acordo com o MAI, as verbas transferidas em dezembro para o CPR foram suportadas pelo orçamento do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), a título de adiantamento.

Por outro lado, o MAI deixou a garantia de que "nas próximas semanas serão disponibilizados os próximos pagamentos".

"Estão em curso os procedimentos necessários e exigidos pelo sistema de gestão e controlo dos fundos da União Europeia para a efetivação dos pagamentos relativos a todos os refugiados já recolocados", lê-se na informação enviada à agência Lusa.

Segundo o MAI, a União Europeia disponibilizou para pagamento 174 mil euros para apoiar os refugiados recolocados que já se encontram em Portugal e adiantou que as restantes verbas serão libertadas à medida que estejam cumpridos os requisitos exigidos pelo sistema de gestão e controlo de fundos.

Os requisitos definem que as verbas só podem ser transferidas pelo SEF para as instituições que acolhem os refugiados à medida que os estes vão tendo o título de residência provisório. Nessa altura, o SEF transfere 50% do valor devido por cada pessoa, transferindo os restantes 50% nove meses depois.

Isto, porque a verba definida pela União Europeia para pagar as despesas com cada um dos refugiados recolocados provenientes da Grécia e de Itália é de 6 mil euros por adulto e 4 mil euros por criança para um período de 18 meses.

O MAI disse ainda que, desde dezembro, já chegaram a Portugal 195 refugiados ao abrigo do programa de recolocação.

Lusa

  • Marcelo saúda "forma rápida" como Conselho de Ministros "tratou de tudo"
    1:03

    País

    O Presidente da República lembra que é preciso convergência de forma a adotar rapidamente as medidas mais urgentes do plano de emergência. No concelho de Tábua, Marcelo Rebelo de Sousa destacou ainda os esforços do Conselho de Ministros, mas lembrou que as medidas anunciadas são apenas o início de um processo e não o fim.

  • TAP recruta mais assistentes de bordo
    2:40

    Economia

    A TAP assegura que, até ao final de outubro, os problemas com falta de tripulação vão terminar. Até ao final do ano vão ser contratados novos assistentes de bordo, mas o sindicato diz que não chega.

  • "Um ataque e uma humilhação contra o povo catalão"
    1:35