sicnot

Perfil

País

Previsão de bom tempo, autoridades recomendam precaução nas praias

A Autoridade Marítima Nacional emitiu esta manhã, devido ao bom tempo, uma recomendação a lembrar que não há ainda nadadores-salvadores a vigiar as praias e, por isso, os banhistas devem "redobrar" cuidados junto à linha de água.

"Devido à possibilidade de ocorrência de condições meteorológicas favoráveis à prática balnear, a Autoridade Marítima aconselha todos aqueles que frequentem as praias nesta altura, a adotarem uma cultura de segurança ativa, redobrando os cuidados junto à linha de água", afirma a autoridade naquele comunicado.

Lembrando a todos os cidadãos que a lei em vigor obriga à permanência de nadadores-salvadores nas praias concessionadas/vigiadas apenas durante a época balnear, a autoridade salienta que, em abril, as praias não se encontram vigiadas nem contêm sinalização relativa ao estado do mar.

Aos banhistas, a Autoridade Marítima aconselha a vigiarem as crianças permanentemente e a uma distância próxima, "não as deixando brincar junto da linha de água".

Em caso de dúvida relativamente ao estado do mar, a autoridade recomenda aos banhistas que "não arrisquem e não vão a banhos", alertando ainda para a importância de respeitar um intervalo de três horas após uma refeição normal, antes de ir a banhos.

A previsão do tempo para este fim de semana prolongado, com o feriado do 25 de Abril, é a de subida da temperatura em cerca de seis graus, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), e com sol, sobretudo a partir de domingo.

Lusa

  • Bom tempo regressa no fim de semana

    País

    O fim de semana prolongado vai ser marcado pelo bom tempo, prevendo-se a partir e domingo céu pouco nublado ou limpo e uma subida da temperatura máxima até seis graus, adiantou hoje a meteorologista Maria João Frada.

  • Um dos conflitos mais sangrentos e esquecidos do planeta pelo olhar de uma portuguesa
    3:20

    Mundo

    A guerra do Congo, que opõe milícias rebeldes ao regime de Kabila, já dura há 20 anos e fez seis milhões de mortos, quatro milhões de deslocados internos e um número crescente de refugiados. Um dos conflitos mais sangrentos e esquecidos do planeta tem levado milhares de civis a passar a fronteira para Angola. A médica portuguesa Ana Paula Cruz testemunhou o drama silencioso dos congoleses nos campos de refugiados da Lunda Norte.

  • "Este é o elefante na sala sobre a saúde!"
    1:43

    País

    Catarina Martins acusa o Governo de estar alinhado com a direita na promoção de negócios privados na área da saúde. O Bloco de Esquerda quer uma nova lei de bases aprovada até ao final da legislatura e arrancou ontem com um ciclo nacional de sessões públicas para defender o Serviço Nacional de Saúde.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05