sicnot

Perfil

País

Homem que matou um cão a tiro condenado por dano agravado

O Tribunal de Idanha-a-Nova condenou hoje o homem que matou um cão em Monsanto, em março de 2015, a 240 dias de multa à taxa diária de oito euros, por dano agravado por uso de arma de fogo.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Lucy Nicholson / Reuters

O tribunal condenou ainda José França Gouveia a uma pena acessória de um ano de interdição de uso e porte de arma e a um pagamento aos donos do cão: 700 euros por danos patrimoniais e 3.300 euros por danos não patrimoniais.

O escriturário das Finanças, reformado, estava acusado de um crime de dano agravado sobre bem móvel por ter alegadamente matado um cão que entrou na sua propriedade, em Monsanto.

Já o dono do cão, acusado de um crime de ameaça agravada e cinco crimes de injúria, foi condenado a uma pena única de 280 dias de multa à taxa diária de 7,5 euros.

José Diogo Castiço terá ainda que pagar 1.500 euros a José França Gouveia por danos não patrimoniais.

O advogado de defesa de José França Gouveia não prestou quaisquer declarações à comunicação social.

Já a defesa de José Diogo Castiço informou que vai recorrer da condenação do seu assistente e que, quanto à condenação do homem que matou o cão, vai, em primeiro lugar, analisar o acórdão.

Lusa

  • Chamas passaram por cima da A23
    1:06

    País

    A A23 esteve cortada ao longo do dia por causa do fumo e das chamas. Em direto para a SIC Notícias, perto das 18h30, os repórteres da SIC presenciaram o momento em que o fogo passou por cima da autoestrada da Beira Interior.

  • Várias povoações evacuadas no concelho de Nisa

    País

    Várias povoações do concelho de Nisa, no distrito de Portalegre, foram esta quarta-feira à noite evacuadas, devido à ameaça do incêndio que lavra no concelho, disse à agência Lusa a presidente do município, Idalina Trindade.

  • "Só numa ditadura é possível tentar esconder o número de vítimas"
    0:51

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O primeiro-ministro diz que é "lamentável" a tentativa de aproveitamento político à volta dos incêndios. António Costa esteve esta quarta-feira à tarde na Autoridade Nacional de Proteção Civil e, no final do briefing, disse que é preciso confiança nas instituições do Estado. O primeiro-ministro deixou ainda muitas críticas à oposição no caso da lista de vítimas de Pedrógão Grande.

  • E os 10 mais ricos de Portugal são...

    Economia

    A família Amorim lidera a lista dos mais ricos do país, com uma fortuna avaliada em 3840 milhões de euros. Em segundo lugar surge Alexandre Soares dos Santos com 2532 milhões de euros. A família Guimarães de Mello ainda entra para o top 3, com um valor de 1471 milhões de euros. A lista foi elaborada pela revista EXAME, que conclui que os ricos estão ainda mais ricos, pela quarta vez consecutiva.

    Bárbara Ferreira

  • "Estou grávida! Estou a morrer!"
    1:14