sicnot

Perfil

País

"Balada de um batráquio" estreia-se hoje em 14 salas

A curta-metragem "Balada de um batráquio", da realizadora portuguesa Leonor Teles, estreia-se hoje em 14 salas de cinema de todo o país, juntamente com o filme "Todos querem o mesmo", de Richard Linklater.

O filme reflete sobre o uso de sapos de cerâmica como forma de xenófobia para com a etnia cigana em Portugal.

O filme reflete sobre o uso de sapos de cerâmica como forma de xenófobia para com a etnia cigana em Portugal.

Premiada com o Urso de Ouro do festival de Berlim, "Balada de um batráquio" denuncia a existência de sapos de loiça, em espaços comerciais, como forma de afastar a entrada de ciganos. Leonor Teles surge no documentário a entrar em lojas e a partir alguns desses sapos.

Com o filme, Leonor Teles expõe um comportamento xenófobo em relação a pessoas de etnia cigana. O filme "não apresenta só uma problemática mas tenta, de certa forma, combatê-la", contou a realizadora à agência Lusa.

A cineasta, que tem ascendência cigana, já se tinha focado na comunidade cigana no primeiro filme, "Rhoma Acans", e confessou que a impotência sentida a inspirou a desenvolver uma nova abordagem, em "Balada de um Batráquio".

Leonor Teles, que considerou a conquista do Urso de Ouro em fevereiro em Berlim "uma coisa inacreditável", já foi premiada no festival de cinema de Hong Kong e está integrada na competição do festival IndieLisboa, que termina no domingo.

"Balada de um batráquio" é o primeiro filme de Leonor Teles, 24 anos, fora de um registo académico.

  • Deputados pedem medidas urgentes para travar exploração de urânio junto à fronteira
    3:06

    País

    Um projeto de exploração de urânio no município de Retortilho em Salamanca, a cerca de 40 quilómetros da fronteira portuguesa, está a causar preocupação nos dois países. Portugueses e espanhóis temem o risco de contaminação por via aérea e fluvial. Deputados portugueses visitaram o local, onde pediram medidas firmas e urgentes ao Governo para travar o projeto. As autoridades de Espanha não acionaram o mecanismo de avaliação ambiental partilhada.

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47
  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser derrotada

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC