sicnot

Perfil

País

PAN apresenta três projetos contra as touradas

O PAN - Pessoas-Animais-Natureza vai avançar esta semana com iniciativas legislativas destinadas a aumentar os esforços para alterar as tradições violentas e as práticas que prejudiquem o bem-estar das crianças e o desenvolvimento civilizacional e educacional da nossa sociedade.

(arquivo)

(arquivo)

REUTERS

A primeira iniciativa a apresentar no parlamento pede a proibição da utilização de menores de idade em espetáculos tauromáquicos.

A lei n.º 31/2015, de 23 de Abril, regula o exercício de atividades de artista tauromáquico e auxiliar por crianças menores de 16 e de 18 anos mediante autorização da Comissão Nacional de Proteção de Crianças e Jovens em Risco.

Esta comissão assim como a Amnistia Internacional reconheceram que a atividade tauromáquica "pode colocar em perigo crianças e jovens".

A segunda iniciativa legislativa pede que seja proibida a transmissão de espetáculos tauromáquicos na estação televisiva pública, argumentando que uma vez que a RTP presta serviço público.

Alega ainda que sendo a RTP uma referência enquanto plataforma de comunicação, deve ter especial atenção aos programas e conteúdos que transmite, pois alcança um número muito elevado de telespectadores.

Por isso, o PAN defende que o serviço público de TV deve evitar conteúdos violentos, sem qualquer valor intelectual ou que incite à discriminação ou outras formas de violência.

Argumenta ainda o PAN que recentemente, o provedor do telespectador foi ouvido pela Comissão Parlamentar de Cultura, Comunicação, Juventude e Desporto sobre o seu relatório de atividades em 2015 tendo dado a conhecer que a transmissão de touradas pela RTP 1 foi o principal assunto que motivou queixas dos telespectadores em 2015.

Das 14.935 mensagens que recebeu durante o ano de 2015, 8.280 foram sobre touradas, o que representa 55% do total de queixas anual.

O PAN volta ainda a abordar a proibição da utilização de dinheiros públicos para financiamento direto ou indireto de atividades tauromáquicas.

Segundo o PAN, estima-se que a despesa pública com tauromaquia em Portugal ronde os dezasseis milhões de euros, uma verba que provém de todos os cidadãos e que, para o PAN, deve ser investida em áreas que "efetivamente contribuam para o desenvolvimento da sociedade, "como educação, saúde ou verdadeira cultura".

Lusa

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.