sicnot

Perfil

País

Autoridades alertam para perigo de praias não vigiadas antes da época balnear

O chefe do Departamento Marítimo do Sul alertou hoje para a importância de verificar se as praias algarvias já têm vigilância ativa, tendo em contas as previsões das condições meteorológicas para os próximos dias.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

A época balnear nacional abre oficialmente a 01 de maio, mas até 01 de junho os concessionários podem optar por abrir ou não os seus estabelecimentos, e, caso não abram não são obrigados a ter vigilância nas praias, explicou o capitão Paulo Isabel.

"Atendendo a que as condições oceanográficas ainda não são as mais propícias para banhos. A própria temperatura da água ainda não é a mais adequada", disse aquele responsável.

No Algarve, o barlavento e a costa ocidental são apontadas pelas autoridades como mais perigosas, porque a água é mais fria e a ondulação mais forte, a par das pequenas enseadas não vigiadas, onde o socorro pode ser particularmente difícil.

"O alerta é para este fim de semana e para aquelas praias que, durante o mês de maio não precisam [de nadadores-salvadores], porque os concessionários não quiseram abrir ainda", vincou o capitão Paulo Isabel.

Em 2015, as praias algarvias tiveram 691 nadadores-salvadores a garantir a segurança e socorro dos banhistas.

O presidente da Associação de Nadadores-Salvadores de Faro, Vítor Santos, disse à Lusa que na última época balnear contou com 134 nadadores-salvadores que asseguraram zonas balneares do concelho de Faro, Olhão e Vila Real de Santo António.

A maior parte dos nadadores-salvadores são jovens que frequentam o ensino secundário e superior, o que coloca dificuldades para garantir a vigilância nos meses de maio, junho e setembro, por causa das aulas e da época de exames.

"O grande problema que eles [concessionários] têm é quando falta um nadador-salvador. Como é que o vão substituir? Ou têm de arrear a bandeira, buscar outro, ou, eventualmente, o dono da concessão ser nadador-salvador", observou Vítor Santos.

A garantia de substituição de um nadador-salvador que falte é um dos motivos que aquele responsável aponta para os contactos crescentes dos concessionários com aquela associação.

A nível nacional, a época balnear abre a 01 de maio e termina a 18 de outubro, mas cada município pode determinar alterações a estas datas.

Lusa

  • Elevadas temperaturas levam banhistas às praias do Algarve
    1:32

    País

    No Algarve, a subida das temperaturas não encheu as praias da região, mas muitas pessoas aproveitaram os primeiros banhos de sol. Os banhistas dizem que o calor ainda não aperta, mas querem aproveitar o bom tempo. A temperatura da água do mar rondou os 16 graus na praia de Quarteira. A previsão de sol deverá levar mais pessoas às praias da região nos próximos dias.

  • Kikas faz história
    1:22
  • Madonna está outra vez em Lisboa 😲
    0:59
  • Nove fatores que aumentam o risco de demência

    Mundo

    Um em cada três casos de demência podia ter sido evitado sem recorrer a medicamentos. Um estudo publicado na revista científica The Lancet explica como é possível evitar a demência e quais os fatores que contribuem para a doença.

  • Hindus pedem a troca de nome da cerveja brasileira Brahma

    Mundo

    Um grupo de hindus pediu a mudança da marca de cerveja Brahma, propriedade da multinacional cervejeira Anheuser-Busch InBev, com sede em Lovaina, na Bélgica, argumentando que é inapropriado uma bebida alcoólica ter o nome que um deus hindu.

  • Manuais oferecidos aos alunos do 1.º ano não podem ser reutilizados
    2:42

    País

    As escolas querem que sejam devolvidos aos alunos os manuais do 1.ºo ano que foram dados gratuitamente pelo Estado para serem reutilizados nos próximos anos. A Associação de Diretores de Agrupamentos diz que os livros estão praticamente todos em bom estado, mas da forma como são feitos pelas editoras é impossível voltar a usá-los. As escolas querem que o Executivo chegue a um entendimento com as editoras para conceber manuais reutilizáveis.

  • Portugal com 3.ª maior dívida pública da UE

    Economia

    A dívida pública recuou, em termos homólogos, na zona euro e na União Europeia (UE), no primeiro trimestre, tendo Portugal registado a terceira maior dos 28 (130,5%), depois da Grécia e de Itália, divulga hoje o Eurostat.