sicnot

Perfil

País

Autoridades alertam para perigo de praias não vigiadas antes da época balnear

O chefe do Departamento Marítimo do Sul alertou hoje para a importância de verificar se as praias algarvias já têm vigilância ativa, tendo em contas as previsões das condições meteorológicas para os próximos dias.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

A época balnear nacional abre oficialmente a 01 de maio, mas até 01 de junho os concessionários podem optar por abrir ou não os seus estabelecimentos, e, caso não abram não são obrigados a ter vigilância nas praias, explicou o capitão Paulo Isabel.

"Atendendo a que as condições oceanográficas ainda não são as mais propícias para banhos. A própria temperatura da água ainda não é a mais adequada", disse aquele responsável.

No Algarve, o barlavento e a costa ocidental são apontadas pelas autoridades como mais perigosas, porque a água é mais fria e a ondulação mais forte, a par das pequenas enseadas não vigiadas, onde o socorro pode ser particularmente difícil.

"O alerta é para este fim de semana e para aquelas praias que, durante o mês de maio não precisam [de nadadores-salvadores], porque os concessionários não quiseram abrir ainda", vincou o capitão Paulo Isabel.

Em 2015, as praias algarvias tiveram 691 nadadores-salvadores a garantir a segurança e socorro dos banhistas.

O presidente da Associação de Nadadores-Salvadores de Faro, Vítor Santos, disse à Lusa que na última época balnear contou com 134 nadadores-salvadores que asseguraram zonas balneares do concelho de Faro, Olhão e Vila Real de Santo António.

A maior parte dos nadadores-salvadores são jovens que frequentam o ensino secundário e superior, o que coloca dificuldades para garantir a vigilância nos meses de maio, junho e setembro, por causa das aulas e da época de exames.

"O grande problema que eles [concessionários] têm é quando falta um nadador-salvador. Como é que o vão substituir? Ou têm de arrear a bandeira, buscar outro, ou, eventualmente, o dono da concessão ser nadador-salvador", observou Vítor Santos.

A garantia de substituição de um nadador-salvador que falte é um dos motivos que aquele responsável aponta para os contactos crescentes dos concessionários com aquela associação.

A nível nacional, a época balnear abre a 01 de maio e termina a 18 de outubro, mas cada município pode determinar alterações a estas datas.

Lusa

  • Elevadas temperaturas levam banhistas às praias do Algarve
    1:32

    País

    No Algarve, a subida das temperaturas não encheu as praias da região, mas muitas pessoas aproveitaram os primeiros banhos de sol. Os banhistas dizem que o calor ainda não aperta, mas querem aproveitar o bom tempo. A temperatura da água do mar rondou os 16 graus na praia de Quarteira. A previsão de sol deverá levar mais pessoas às praias da região nos próximos dias.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59