sicnot

Perfil

País

Costa defende que maioria que suporta o Governo está "sólida e de boa saúde"

O primeiro-ministro acusou hoje a oposição de estar sistematicamente a usar a "tática de inventar" intenções do Governo e defendeu que a maioria parlamentar que suporta o seu executivo "está sólida e de boa saúde".

© Rafael Marchante / Reuters

António Costa falava em conferência de imprensa conjunta com o presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, depois de questionado sobre medidas de consolidação orçamental a tomar pelo Governo no próximo ano, tais como as perspetivas de um aumento dos impostos indiretos e um corte nos apoios sociais.

Esse conjunto de perspetivas, de acordo com o primeiro-ministro, "faz parte de uma tática que a oposição tem permanentemente: Não tendo nada para criticar sobre o que o Governo faz, inventa intenções sobre o que o Governo irá fazer".

"Já explicámos que não há plano B, nem C, nem D [de consolidação orçamental], nem E. O que tem acontecido, simplesmente, é que este Governo tem sido capaz de executar passo a passo aquilo que se propõe. A maioria está sólida e de boa saúde", sustentou.

António Costa referiu-se depois a uma série de questões (na sua opinião, sem fundamento) que têm sido levantadas praticamente desde as últimas eleições legislativas até hoje.

"Havia dúvidas se era possível formar-se uma maioria, mas formou-se uma maioria, havia dúvidas se era possível aprovar o orçamento em 2016, foi aprovado o Orçamento, havia dúvidas sobre pânico nos mercados, mas não houve pânico nos mercados, havia dúvidas se a Comissão Europeia chumbaria o Orçamento, mas não chumbou o Orçamento, dizia-se que era agora que a maioria se dissolvia com a não aprovação do Programa de Estabilidade, mas temos agora Programa de Estabilidade", disse.

Costa continuou a enumerar os outros episódios que marcaram os últimos meses do seu executivo, contrapondo que a maioria que suporta o seu Governo "está sólida e de boa saúde".

"Por tanto, como se vê, nenhuma dessas notícias é notícia", acrescentou.

Lusa

  • Os efeitos dos incêndios na natureza
    2:46

    País

    Cheias frequentes, erosão dos solos e contaminação dos rios e albufeiras são as previsões unânimes da comunidade científica para os próximos tempos, na sequência dos incêndios florestais. À SIC, o hidrobiólogo Adriano Bordalo Sá e o investigador de recursos florestais Rui Cortes alertam: é necessário começar a tratar da terra queimada o mais rapidamente possível.

  • Tudo o que precisa saber sobre a moção de censura

    País

    O Governo minoritário do PS enfrenta esta terça-feira a sua primeira moção de censura, a 29.ª em 43 anos de democracia, mas PCP, BE e PEV já anunciaram que vai "chumbar" a iniciativa do CDS-PP. Esta é a sétima moção de censura apresentada pelo CDS-PP e a 29.ª a ser discutida na Assembleia da República. Os três partidos de esquerda que têm apoiado o executivo, PCP, BE e PEV, já anunciaram que votam contra. Com os votos do PS, a moção é chumbada.

  • Os melhores do mundo pela FIFA da última década

    Desporto

    O português Cristiano Ronaldo e o argentino Lionel Messi têm repartido de forma igual os prémios de melhor jogador do mundo pela FIFA, na última década. Apesar destes dois nomes serem os mais falados, muitos outros jogadores foram nomeados para o prémio. Conheça a lista dos nomeados e dos vencedores desde 2007.

  • O preconceito em relação aos transexuais
    34:09
  • "Isto destrói famílias"
    0:46
  • Falta de gado ameaça produção do queijo da Serra da Estrela
    3:35

    País

    A devastação provocada pelos últimos incêndios foi um rude golpe na economia da região Centro do país. Algumas empresas já começaram os trabalhos de reconstrução, mas os produtores de gado temem não conseguir repôr os animais, deixando em risco a produção do queijo Serra da Estrela.

  • Eurodeputados homenageiam vítimas dos fogos
    1:38

    País

    A União Europeia vai doar os 50 mil euros do prémio Princesa das Astúrias às populações afetadas pelos incêndios em Portugal e Espanha. A Comissão Europeia continua a avaliar o pedido ao Fundo Europeu de Solidariedade, mas o pedido deverá ainda ser atualizado para incluir os prejuízos causados pelos incêndios da semana passada.