sicnot

Perfil

País

Taxistas vão ser recebidos hoje pelo secretário de Estado do Ambiente

Uma delegação de taxistas vai ser hoje recebida pelo secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, anunciaram os representantes destes profissionais, após uma reunião na Assembleia da República com o grupo parlamentar do PS.

Faro

Faro

LUÍS FORRA/LUSA

"Vamos agora para a Secretaria de Estado para sermos recebidos pelo senhor secretário de Estado, porque o senhor ministro está para o Porto", disse Florêncio Almeida, presidente da Associação Nacional de Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL).

O anúncio foi feito cerca das 17:50 perante dezenas de taxistas que se encontram concentrados junto às escadarias da Assembleia da República, em protesto contra a empresa de serviço de transporte privado Uber, na companhia do presidente da Federação Portuguesa do Táxi (FPT), Carlos Ramos.

Os dois dirigentes lideram a comitiva que se dirigiu à Secretaria de Estado, enquanto os taxistas ficaram a aguardar junto ao Parlamento que regressem da reunião com o governante.

Cerca das 18:15, fonte do Ministério do Ambiente disse à agência Lusa que a reunião "já estava a decorrer".

Florêncio Almeida disse, ainda, que o grupo parlamentar do PS assumiu o compromisso de ajudar a resolver este problema.

"O grupo parlamentar do PS comprometeu-se a, na segunda-feira, chamar todas as entidades que foram notificadas pelo tribunal para fazerem cumprir a decisão do tribunal e [saber] porque é que não o fizeram até aqui", afirmou o presidente da ANTRAL.

Este responsável acrescentou que o grupo parlamentar do PS também se comprometeu a agendar este assunto para ser discutido na comissão parlamentar.

"E vão tentar também agendar que este problema seja resolvido o mais rapidamente possível. Eles só na quarta-feira é que vão fazer aprovar o requerimento (...) na comissão. E a partir daí, pelo menos mais oito dias, a gente tem de aguardar", acrescentou Florêncio Almeida.

Uma marcha lenta de centenas de táxis chegou hoje ao parlamento às 13:45, encabeçada pelos dirigentes das duas associações de táxis que convocaram a contestação.

Em Lisboa, os taxistas em protesto contra a empresa de serviço de transporte privado Uber partiram às 09:30 do Campus de Justiça, no Parque das Nações, em direção ao aeroporto de Lisboa.

A marcha passou depois pela Avenida Almirante Gago Coutinho, Avenida Estados Unidos da América, Entrecampos, Avenida da República, Avenida Fontes Pereira de Melo, Avenida da Liberdade, Rossio, Rua do Ouro, Câmara de Lisboa e Avenida 24 de Julho.

Esta iniciativa é o culminar de uma semana de luta das duas associações para pressionar o Governo a suspender a atividade da Uber.

O serviço de transporte Uber permite chamar um carro descaracterizado com motorista privado através de uma plataforma informática, que existe em mais de 300 cidades de cerca de 60 países.

O protesto de taxistas decorreu também no Porto e em Faro.

Lusa

  • DIRETO: Célula terrorista preparava grande atentado na Catalunha

    Ataque em Barcelona

    Uma das vítimas mortais do atentado em Barcelona era de Lisboa e há uma outra portuguesa, a sua neta, desaparecida. A polícia procura quatro jovens e há outras quatro detenções confirmadas. Os autores dos ataques na Catalunha, que mataram 14 pessoas e feriram 140, pertenciam ao mesmo grupo. Siga aqui as últimas informações, ao minuto.

    Em atualização

  • Vídeo mostra passagem da carrinha a alta velocidade nas Ramblas
    0:33
  • O momento em que os suspeitos foram abatidos em Cambrils
    2:35

    Ataque em Barcelona

    Em Cambrils, também na Catalunha, foram mortos cinco alegados terroristas que atropelaram várias pessoas, uma morreu e seis ficaram feridas, quando escapavam a uma perseguição policial, esta madrugada. As autoridades investigam uma eventual relação entre os dois atentados. Nota: chamamos à atenção para a violência das imagens, que podem chocar os espetadores mais sensíveis.

  • Nível de ameaça terrorista em Portugal continua moderado
    1:31

    Ataque em Barcelona

    O primeiro-ministro garantiu hoje que, para já, o nível de ameaça terrorista em Portugal não vai ser alterado (o nível está no 4 em 5). Já o Presidente da República disse que não há tolerância possível e garante que há medidas preparadas caso o mesmo cenário venha a acontecer em Portugal.

  • Vento e calor provocam reacendimentos em Mação
    1:55

    País

    As temperaturas altas e o vento forte estão a provocar reacendimentos em Mação. No terreno mantêm-se cerca de 800 bombeiros, numa altura que que há receio que as chamas voltem a ficar ativas, como explica o repórter Rui Carlos Teixeira.