sicnot

Perfil

País

Tempo quente no fim de semana

O fim de semana vai ser marcado por uma subida gradual das temperaturas máximas, que até quarta-feira vão chegar aos 31 graus Celsius em algumas zonas de Portugal continental.

"Para este fim de semana, e já a partir de sábado e até dia 4 de maio, quarta-feira, vamos ter uma situação de tempo seco, sem chuva, com céu limpo e uma subida gradual da temperatura máxima, que vai ser mais significativa na terça e quarta-feira", adiantou Maria João Frada, do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com Maria João Frada, na terça e na quarta-feira, as máximas vão variar entre os 25 e os 30/31 graus, sendo que os valores mais altos serão atingidos no litoral oeste e nas regiões do interior.

"Relativamente às mínimas, vamos ter uma ligeira subida variando entre os 10 e os 15/16 graus", disse.

A meteorologista do IPMA explicou que a situação de tempo seco deve-se a "um anticiclone localizado a noroeste do território do continente".

"Este anticiclone, em conjunto com uma depressão centrada no norte de África, vai dar origem a uma massa de ar mais quente e, portanto, temperaturas mais elevadas", salientou.

No que diz respeito ao vento, a meteorologista indicou que vai ser fraco a moderado.

A partir de quarta-feira, o IPMA prevê uma mudança no estado do tempo, com descida da temperatura e possibilidade de chuva.

"Se se verificar o cenário de hoje, tudo aponta que a partir de quinta-feira haja uma alteração do estado do tempo, uma descida acentuada dos valores das máximas e o regresso da precipitação sob a forma de aguaceiros", sublinhou.

Lusa

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.