sicnot

Perfil

País

Tempo quente no fim de semana

O fim de semana vai ser marcado por uma subida gradual das temperaturas máximas, que até quarta-feira vão chegar aos 31 graus Celsius em algumas zonas de Portugal continental.

"Para este fim de semana, e já a partir de sábado e até dia 4 de maio, quarta-feira, vamos ter uma situação de tempo seco, sem chuva, com céu limpo e uma subida gradual da temperatura máxima, que vai ser mais significativa na terça e quarta-feira", adiantou Maria João Frada, do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com Maria João Frada, na terça e na quarta-feira, as máximas vão variar entre os 25 e os 30/31 graus, sendo que os valores mais altos serão atingidos no litoral oeste e nas regiões do interior.

"Relativamente às mínimas, vamos ter uma ligeira subida variando entre os 10 e os 15/16 graus", disse.

A meteorologista do IPMA explicou que a situação de tempo seco deve-se a "um anticiclone localizado a noroeste do território do continente".

"Este anticiclone, em conjunto com uma depressão centrada no norte de África, vai dar origem a uma massa de ar mais quente e, portanto, temperaturas mais elevadas", salientou.

No que diz respeito ao vento, a meteorologista indicou que vai ser fraco a moderado.

A partir de quarta-feira, o IPMA prevê uma mudança no estado do tempo, com descida da temperatura e possibilidade de chuva.

"Se se verificar o cenário de hoje, tudo aponta que a partir de quinta-feira haja uma alteração do estado do tempo, uma descida acentuada dos valores das máximas e o regresso da precipitação sob a forma de aguaceiros", sublinhou.

Lusa

  • "Não há um verdadeiro debate democrático em Espanha"
    2:24
    Quadratura do Círculo

    Quadratura do Círculo

    QUINTA-FEIRA 23:00

    No Quadratura do Círculo desta quinta-feira, José Pacheco Pereira disse que este braço de ferro em território espanhol reforça a linha autoritária que existe em Espanha. Jorge Coelho considera que é urgente recorrer à diplomacia para definir um caminho a médio ou a longo prazo. Já o gestor Manuel Queiró afirma que Portugal não deve encarar este referendo com condescendência. 

  • O que separa a Catalunha do resto de Espanha?
    2:12

    Mundo

    Desde 1640, as revoltas catalãs representam a vontade pela distância e pela independência. Numa região que não é reconhecida formalmente como Nação, na Catalunha entende-se e fala-se mais castelhano do que catalão. Mas o que realmente separa a Catalunha do resto de Espanha?

  • A corrida ao iPhone 8 no Japão, China e Austrália
    2:04
  • Óculos inteligentes permitem controlar telemóvel com o nariz
    1:05
  • Defesa de Sócrates diz que junção do caso Rio Forte à Operação Marquês é ilegal
    0:50

    Operação Marquês

    A defesa de José Sócrates diz que a junção do caso Rio Forte à Operação Marquês é ilegal. A aplicação de 900 milhões de euros da PT no BES foi anexada ao processo, por suspeita de luvas pagas por Ricardo Salgado a Zeinal Bava e Henrique Granadeiro, também arguidos. A defesa do antigo primeiro-ministro já contestou a decisão. Diz que é uma forma de confundir o processo para ocultar, mais uma vez, a falta de provas contra Sócrates.

  • Família Portugal Ramos
    15:01