sicnot

Perfil

País

Associação de sargentos da GNR defende unificação de polícias

A Associação Nacional dos Sargentos da Guarda (ANSG) defendeu hoje a unificação de polícias caso se mantenha "a gigante falta de paridade de tratamento" da GNR em relação às forças congéneres do Ministério da Administração Interna, designadamente a PSP.

(SIC/ Arquivo)

"Como num Estado de direito não há cidadãos de primeira e de segunda, urge refletir para onde vamos e para onde é que queremos ir, e a manter-se essa desvitalização da instituição GNR, o caminho deverá passar urgentemente pela unificação de polícias", refere a ANSG, num comunicado divulgado a propósito do 105.º aniversário da corporação, que se assinala na terça-feira.

O presidente da ANSG, José Lopes, disse à agência Lusa que "não faz sentido existirem duas polícias, sendo a unificação a decisão mais acertada", caso a GNR continue a ser discriminada.

Segundo a ANSG, existe uma "gritante falta de paridade de tratamento em relação às congéneres forças do Ministério da Administração Interna, em especial à PSP", cujos elementos auferem um vencimento superior aos militares da GNR, apesar de terem o mesmo sistema de apoio à saúde e acesso à aposentação.

José Lopes adiantou que os elementos da GNR têm "mais obrigações" do que os da PSP devido à condição de militar, mas as compensações são inferiores.

"Em vésperas da data comemorativa do 105.º Aniversário da GNR, que supostamente deveria ser de ambiente de união, vive-se hoje no seio da instituição um sentimento de descrédito, desanimo e desmotivação pelo não reconhecimento da sua condição", lê-se no comunicado da ANSG.

Como exemplo, a associação que representa os sargentos daquela força de segurança indica o não reconhecimento dos regimes especiais de acesso à reforma com os cálculos devidos, situação que a ANSG admite levar a tribunal.

José Lopes considerou também que é "mais importante" a revisão da lei orgânica da GNR do que o estatuto profissional daquela força de segurança, tendo em conta a "imperiosa necessidade de redistribuição de efetivo e definição da verdadeira missão da Guarda".

Para o presidente da ANSG, só depois da revisão da lei orgânica é que se deve avançar para o estatuto profissional da GNR, que apenas "salvaguarda a ascensão dos oficiais da academia ao generalato".

No entanto, a associação considera este processo "natural e legítimo".

Lusa

  • Autarca e duas jornalistas mortas a tiro na Finlândia 

    Mundo

    A presidente da Câmara de Imatra, na Finlândia, e duas jornalistas foram mortas a tiro na noite passada, na pequena cidade do sudeste do país. O incidente aconteceu junto a um restaurante e a polícia chegou ao local pouco depois dos disparos. Um suspeito de 23 anos já foi detido.

  • Avião da Qatar Airways aterra de emergência nas Lajes
    0:47

    País

    Aterrou de emergência nos Açores, esta manhã, um avião da Qatar Airways. A turbulência obrigou à manobra que causou pelo menos 10 feridos nos passageiro do avião que fazia ligação de Washington para Doha, capital do Qatar, e foi desviado para a base aérea das Lajes.

  • Óscar do turismo para empresa que gere património de Sintra
    1:51

    Cultura

    A Parques de Sintra ganhou, pelo quarto ano consecutivo, os World Travel Awards na categoria de "Melhor Empresa de Conservação do Mundo". A empresa portuguesa, que gere monumentos, parques e jardins situados na zona da Paisagem Cultural de Sintra e em Queluz, voltou a ser a única nomeada europeia na categoria, e foi a vencedora entre candidatos de todo o mundo.

  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.