sicnot

Perfil

País

Reclusos de Custóias terminam greve de fome que durava desde 19 de abril

Os seis reclusos romenos do Estabelecimento Prisional do Custoias que estavam em greve de fome desde 19 de abril puseram hoje termo àquela forma de protesto, informou à Lusa o advogado de um dos grevistas.

(Arquivo/Reuters)

(Arquivo/Reuters)

© Stephen Lam / Reuters

Segundo Fernando Moura, a greve de fome terminou depois de os reclusos terem conseguido provar que a tradutora escolhida pelos tribunais para os seus processos "não está autorizada pelo Ministério da Justiça da Roménia".

"Tenho em mãos um documento do Ministério da Justiça romeno que garante que a tradutora em questão não está autorizada nem é reconhecida oficialmente como tal pelas autoridades da Roménia", referiu Fernando Moura.

Em causa está uma tradutora de nacionalidade moldava, que, ainda segundo Fernando Moura, "não consegue traduzir corretamente a língua romena", acabando por prejudicar os arguidos, nomeadamente no que se refere às escutas telefónicas.

O advogado sustentou ainda que os reclusos, todos em prisão preventiva por furtos, se dizem "discriminados" pela Justiça portuguesa.

"Estamos a falar de pequenos furtos, mas o que acontece é que os processos acabam por ser todos juntos para parecer uma coisa em grande e para assim de alguma forma justificar a prisão preventiva", acrescentou, por entre acusações de "xenofobia".

Lusa

  • Governo vai avaliar situação da associação Raríssimas
    1:41

    País

    O Governo promete avaliar a situação da instituição Raríssimas e agir em conformidade, depois da denúncia de alegadas irregularidades na gestão financeira. A presidente da instituição terá usado dinheiro da Raríssimas para gastos pessoais como vestidos de alta-costura e alimentação. Esta é uma instituição que apoia doentes e famílias que convivem de perto com doenças raras. 

  • Diáconos permanentes: quem são e que cargo ocupam na comunidade católica
    10:04
  • Múmia quase intacta descoberta em Luxor
    1:23

    Mundo

    O Egito anunciou, este sábado, a descoberta de dois pequenos túmulos com 3.500 anos na cidade de Luxor. Foram também encontrados uma múmia em bom estado de conservação, uma estátua do deus Ámon Ra e centenas de artefactos de madeira e cerâmica ou pinturas intactas.