sicnot

Perfil

País

600 médicos sem vaga para formação na especialidade em 2017

Cerca de 600 médicos internos não vão ter vaga para a sua formação na especialidade no próximo ano, um número que nunca foi tão elevado e que resulta "da falta de planeamento", segundo a Ordem dos Médicos.

Regis Duvignau / Reuters

Em declarações à agência Lusa, o presidente do Conselho Nacional do Internato Médico da Ordem dos Médicos, Edson Oliveira, disse que para o próximo ano foram estipulados 1.600 locais idóneos para a formação dos médicos.

Contudo, existem cerca de 2.200 que estão neste momento no internato geral e que em junho vão escolher a especialidade que querem seguir.

"A Ordem dos Médicos nunca deu tanta capacidade formativa como este ano e atingiu o seu limite. Teria de chegar um dia ao limite", disse Edson Oliveira.

Sem vaga para a sua formação na especialidade ficarão 600 médicos que, após os seis anos de formação universitária, realizaram já o internato comum.

A falta de vagas não encontra solução no setor privado, no qual apenas poucas dezenas de profissionais fazem a especialidade.

Tal deve-se, segundo Edson Oliveira, às dificuldades próprias de um setor que tem sobretudo o fator económico associado.

Isto quer dizer que certos procedimentos que os formandos realizam durante a sua especialização não são realizados nas instituições privadas, pois tal poderia resultar em problemas com as seguradoras e os próprios clientes.

"Os internos têm uma velocidade própria do início da sua formação, mais vagar com os doentes e pedem mais exames, o que pode explicar o menor interesse por parte das instituições privadas" em proporcionar-lhes vagas para a especialização.

No ano passado, ficaram sem vaga 117 médicos, os quais receberam uma proposta do Ministério da Saúde para continuarem no Serviço Nacional da Saúde (SNS), a qual só foi aceite por metade dos médicos.

Para Edson Oliveira, esta é uma "solução falaciosa" e que apenas varre o problema "para debaixo do tapete".

O clínico está preocupado com o previsível excesso de médicos formados que se deverá acentuar nos próximos tempos, quando algumas especialidades que agora têm falta de profissionais vir esse problema resolvido.

"Faltam 900 médicos de família, mas há 2.000 médicos que serão formados nesta especialidade no espaço de dois e três anos", adiantou.

A solução passa, segundo a Ordem dos Médicos, por diminuir os números clausus, mas mesmo esta medida só terá efeitos práticos dentro de sete anos.

"Durante anos, e apesar dos alertas da Ordem dos Médicos, não houve planeamento e o resultado está à vista", disse.

  • Estudantes de Medicina acusam Governo de desinvestir na formação
    2:30

    País

    A Associação Nacional de Estudantes de Medicina acusa o Governo de desinvestir na formação promovendo uma geração de médicos indiferenciados. Com a mudança da lei, em maio deste ano, a autonomia médica é conseguida com o ano comum . Os estudantes dizem que esse é o caminho para abrirem menos vagas para a especialidade.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.