sicnot

Perfil

País

600 médicos sem vaga para formação na especialidade em 2017

Cerca de 600 médicos internos não vão ter vaga para a sua formação na especialidade no próximo ano, um número que nunca foi tão elevado e que resulta "da falta de planeamento", segundo a Ordem dos Médicos.

Regis Duvignau / Reuters

Em declarações à agência Lusa, o presidente do Conselho Nacional do Internato Médico da Ordem dos Médicos, Edson Oliveira, disse que para o próximo ano foram estipulados 1.600 locais idóneos para a formação dos médicos.

Contudo, existem cerca de 2.200 que estão neste momento no internato geral e que em junho vão escolher a especialidade que querem seguir.

"A Ordem dos Médicos nunca deu tanta capacidade formativa como este ano e atingiu o seu limite. Teria de chegar um dia ao limite", disse Edson Oliveira.

Sem vaga para a sua formação na especialidade ficarão 600 médicos que, após os seis anos de formação universitária, realizaram já o internato comum.

A falta de vagas não encontra solução no setor privado, no qual apenas poucas dezenas de profissionais fazem a especialidade.

Tal deve-se, segundo Edson Oliveira, às dificuldades próprias de um setor que tem sobretudo o fator económico associado.

Isto quer dizer que certos procedimentos que os formandos realizam durante a sua especialização não são realizados nas instituições privadas, pois tal poderia resultar em problemas com as seguradoras e os próprios clientes.

"Os internos têm uma velocidade própria do início da sua formação, mais vagar com os doentes e pedem mais exames, o que pode explicar o menor interesse por parte das instituições privadas" em proporcionar-lhes vagas para a especialização.

No ano passado, ficaram sem vaga 117 médicos, os quais receberam uma proposta do Ministério da Saúde para continuarem no Serviço Nacional da Saúde (SNS), a qual só foi aceite por metade dos médicos.

Para Edson Oliveira, esta é uma "solução falaciosa" e que apenas varre o problema "para debaixo do tapete".

O clínico está preocupado com o previsível excesso de médicos formados que se deverá acentuar nos próximos tempos, quando algumas especialidades que agora têm falta de profissionais vir esse problema resolvido.

"Faltam 900 médicos de família, mas há 2.000 médicos que serão formados nesta especialidade no espaço de dois e três anos", adiantou.

A solução passa, segundo a Ordem dos Médicos, por diminuir os números clausus, mas mesmo esta medida só terá efeitos práticos dentro de sete anos.

"Durante anos, e apesar dos alertas da Ordem dos Médicos, não houve planeamento e o resultado está à vista", disse.

  • Estudantes de Medicina acusam Governo de desinvestir na formação
    2:30

    País

    A Associação Nacional de Estudantes de Medicina acusa o Governo de desinvestir na formação promovendo uma geração de médicos indiferenciados. Com a mudança da lei, em maio deste ano, a autonomia médica é conseguida com o ano comum . Os estudantes dizem que esse é o caminho para abrirem menos vagas para a especialidade.

  • A proposta dos partidos para a redução da dívida
    1:55

    Economia

    O PS e o Bloco de Esquerda querem mais 45 anos para pagar as dívidas à UE e juros mais baixos. As medidas fazem parte da proposta para a redução da dívida pública. No relatório que será enviado ao Governo, não é pedido perdão da dívida como os partidos da esquerda chegaram a defender.

  • Ministros de Governos de Sócrates ouvidos pelo Ministério Público
    1:54
  • Suspeito de atropelamento mortal fala de acidente 
    2:00
  • "Têm um verdadeiro amigo na Casa Branca"

    Mundo

    O Presidente norte-americano reafirmou esta sexta-feira o apoio ao direito de porte de armas no país, sublinhando, numa convenção daquele 'lobby', que "o ataque de oito anos às liberdades consagradas no Artigo 2.º [da Constituição]" terminou.

  • A história de Macron e Brigitte Trogneux, 25 anos mais velha
    1:25

    Eleições França 2017

    A segunda volta das eleições francesas acontece já no próximo dia 7 de maio. Caso Emmanuel Macron seja eleito, o país terá como primeira-dama uma mulher 25 anos mais velha do que o Presidente. Brigitte Trogneux tem 64 anos e Macron 39, conheceram-se no liceu privado de jesuítas, em Amiens. Brigitte era a professora e Macron o aluno. Conheça a história do casal. 

  • Autoridades garantem ter evitado novo ataque terrorista em Londres
    0:59

    Mundo

    A polícia britânica garante que evitou um novo atentado em Londres. Mulher baleada faz parte das oito pessoas que foram detidas numa operação antiterrorista na capital britânica e no sul de Inglaterra. A operação realizou-se após a detenção de um homem com três facas, nas imediações do Parlamento britânico.

  • Presidente da Macedónia convocou reunião de emergência

    Mundo

    O Presidente da Macedónia, Gjorge Ivanov, convocou esta sexta-feira uma reunião de emergência com líderes políticos, após manifestantes, maioritariamente apoiantes da maioria conservadora, invadirem o Parlamento e atacarem deputados da oposição, fazendo 77 feridos.

  • Polícia espanhola divulga imagens de operação anti-jihadista

    Mundo

    A polícia espanhola divulgou esta sexta-feira novas imagens da operação anti-jihadista levada a cabo na terça-feira em Barcelona. Sabe-se agora que dois dos nove suspeitos detidos podem estar relacionados com a célula terrorista de Bruxelas, responsável pelos ataques no Aeroporto de Zaventem e no metro da capital belga.

  • Menina que nasceu com três pernas já corre

    Mundo

    Uma criança do Bangladesh que cresceu com três pernas vai regressar a casa, depois de uma viagem até à Austrália, onde foi operada para retirar o membro a mais. Como resultado de um gémeo que não se formou por completo, a criança de três anos nasceu com uma terceira perna na pélvis. Alguns meses após a cirurgia, feita em novembro, a menina já corre.