sicnot

Perfil

País

Exército diz que Colégio Militar não escrutina orientação sexual de alunos e pune qualquer agressão

O diretor de Educação e Doutrina do Exército afirmou hoje que a direção do Colégio Militar não anda diariamente a escrutinar os alunos sobre a sua orientação sexual e que qualquer agressão discriminatória é punida pelo regulamento interno.

O responsável esteve hoje a ser ouvido na subcomissão de Igualdade e Não Discriminação, na Assembleia da República, onde foi chamado para falar sobre a reportagem do jornal digital Observador sobre o Colégio Militar e sobre as declarações do subdiretor da instituição.

Aos deputados, o major-general Fernando Coias Ferreiras disse que nunca negou que houvesse alunos homossexuais entre os mais de 600 estudantes da instituição.

"Nós, no dia-a-dia, não andamos propriamente com uma preocupação de escrutínio a ver se algum aluno manifesta ou não a sua orientação sexual. Julgo até que não seria essa uma atitude correta", defendeu.

Por outro lado, deixou a garantia de que "qualquer agressão" a um aluno, seja psicológica ou física, "naturalmente é punida pelo regulamento interno".

"A direção do Colégio Militar não deixa de estar atenta a quaisquer casos de agressão psicológica ou física e, nomeadamente, numa situação mais grave que é o 'bullying', procurando atuar preventivamente e quando não consegue, através de medidas disciplinares que estão previstas em termos do regulamento", afirmou Coias Ferreiras.

Na sequência de uma pergunta feita pela deputada do Bloco de Esquerda Sandra Cunha, sobre de que forma o Colégio Militar procura atuar sobre situações de discriminação sexual, o responsável disse que faz o mesmo que "está previsto noutras escolas".

"Além de ter uma estrutura hierárquica muito firme, que acompanha os alunos no dia-a-dia, que procura compreender o que se passa com cada um desses alunos, (...) existem programas de informação ao nível da educação para a saúde, sexualidade e afetos (...), e há três anos foi criado um gabinete específico de pedagogia", adiantou.

Afirmou que, dessa forma, procuram acompanhar situações que possam configurar qualquer tipo de exclusão entre os alunos.

Sublinhou que, ao nível do internato, as situações de exclusão "merecem um acompanhamento mais próximo" e procura-se saber quais são os motivos por que um aluno é excluído pelos outros, ao mesmo tempo que os pais são chamados para a resolução do problema.

Por outro lado, em relação aos "afetos que saem da pura amizade e camaradagem", o major-general lembrou que não são permitidas no regulamento interno, sendo consideradas faltas graves, para as quais há medidas disciplinares.

Além do diretor de Educação e Doutrina do Exército, hoje foi também ouvida a Associação de Pais e Encarregados de Educação dos Alunos do Colégio Militar.

Em nome da associação, o presidente da Mesa, Ângelo Felgueiras afirmou que os pais exigem que os seus filhos sejam educados com base no respeito e tolerância, e que não aceitam que haja qualquer tipo de discriminação.

O responsável afirmou que a Associação de Pais nunca teve conhecimento de qualquer caso de discriminação sexual e que se tivesse tido, teria agido em conformidade.

Lusa

  • "A vitória de Bruno de Carvalho pode ser uma vitória de Pirro"
    1:01
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    As eleições para a presidência do Sporting realizam-se no próximo sábado e os comentadores d'O Dia Seguinte avaliaram já as hipóteses de vitória dos candidatos. Rui Gomes da Silva considera que a gravação que implicava José Maria Ricciardi não vai influenciar a decisão de voto. Já Paulo Farinha Alves acredita que Bruno de Carvalho vai vencer a eleição. Contudo José Guilherme Aguiar avisa as eleições podem não trazer estabilidade ao Sporting.

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • SIC revela relatório que provava falência do GES
    2:06
  • Sócrates acusa Cavaco de conspiração
    0:57
  • Bastidores do sambódromo: um espétaculo à parte
    3:22
  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22
  • Como a maioria de Esquerda gere as votações
    2:15

    País

    A gestão entre os partidos é feita diariamente mas nem sempre PCP e Bloco de Esquerda têm votado ao lado do Governo. A SIC ouviu um politólogo, que diz que o objetivo é cada um salientar as diferenças que os separam do PS. No entanto, também há exemplos que provam que nenhum dos partidos quer pôr em causa a estabilidade política.