sicnot

Perfil

País

Porto inicia projeto de estacionamento rápido junto a escolas

A Câmara do Porto revelou hoje que a rua Guerra Junqueiro vai ter, a partir de segunda-feira, lugares de paragem rápida junto às escolas, num projeto-piloto para alargar a outras zonas e incluir transporte escolar.

(Reuters/ Arquivo)

Em declarações à Lusa, a vereadora da Mobilidade, Cristina Pimentel, adiantou que começaram já esta madrugada os trabalhos de sinalização com vista à "diminuição de pontos de conflito" daquela artéria, nomeadamente devido aos estacionamentos em segunda fila dos pais dos mais de 850 alunos das três escolas que ali se concentram.

As "medidas estruturais" para melhorar a circulação naquela rua, próxima da avenida da Boavista passam pela "criação de lugares de estacionamento de curta duração" - dez minutos -- e pela criação de "sentido único na rua Monsenhor Fonseca Soares".

Nesta artéria, a circulação vai passar a ser permitida apenas no "sentido descendente", ou seja, do supermercado que ali existe até Guerra Junqueiro, acrescentou a vereadora.

De acordo com Cristina Pimentel, "este é um primeiro projeto-piloto para começar, gradualmente, a alargar a outras zonas da cidade".

"Temos plena consciência de que este tipo de programas tem de ser alargado, por exemplo junto ao Fontes Pereira de Melo, ao colégio das Escravas, junto ao Marquês e à rua da Boavista", afirmou.

A área das escolas Secundárias Fontes Pereira de Melo e Clara de Resende, junto ao Bessa, poderá ser a próxima a ser abrangida, uma vez que "tem também uma grande concentração de estabelecimentos de ensino e uma oferta de transportes públicos desarticulada com esse fenómeno".

A experiencia na rua Guerra Junqueiro é, também, para ser acompanhada de um projeto de "transporte escolar naquela zona", que a Câmara está a pensar implementar já a partir do próximo ano letivo e envolvendo a Escola Básica (EB) 1 João de Deus.

Segundo Cristina Pimentel, o objetivo da autarquia é "criar pontos de entrega das crianças mais próximos das suas residências", devido a evitar a concentração de automóveis junto às zonas escolares.

"O transporte escolar não existe e é um dos maiores problemas que temos em termos de gestão de tráfico", afirmou a vereadora.

Cristina Pimentel alerta que o fenómeno de levar as crianças às escolas de automóvel "tem vindo a crescer gradualmente" e que "estudos comprovam que este aumento de viagens representa cerca de quatro viagens por dia".

"Em hora de ponta, esta mobilidade junto às escolas representa 20% do tráfego na cidade", vincou.

"O problema tem de ser resolvido a vários níveis, porque quando o tráfego aumenta, aumenta a sinistralidade e os conflitos", observou.

Quanto à rua Guerra Junqueiro, a ação infraestrutural da autarquia vai ser acompanhada de outras medidas "leves", desenvolvidas em articulação com as escolas, nomeadamente com o Colégio Alemão, que "fez um inquérito de mobilidade junto aos pais".

Esse questionário revelou que "89% dos alunos vão de carro e que, desses 89%, 36% vivem a menos de três quilómetros da escola", nota Cristina Pimentel.

Aquele estabelecimento de ensino vai também promover, junto das crianças e dos pais, a criação de um sistema de "carros partilhados" e de uso de modos suaves de transporte.

A escola vai ainda divulgar "mapas com os melhores percursos pedonais" a fazer nas deslocações na zona.

Lusa

  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.