sicnot

Perfil

País

Trânsito condicionado a partir de hoje em Picoas e no Saldanha, Lisboa

A circulação automóvel vai estar condicionada a partir de hoje nas avenidas Fontes Pereira de Melo e da República, em Lisboa, devido às obras do eixo central da cidade, que têm uma duração prevista de nove meses.

CML

As intervenções arrancam na Avenida Fontes Pereira de Melo, onde estarão suprimidas duas (uma em cada sentido) das seis vias durante três meses.

Das quatro vias restantes, duas (também uma em cada sentido) são destinadas a transportes públicos, mas durante este período serão partilhadas com o transporte individual.

Ao mesmo tempo, haverá trabalhos na Avenida da República junto a Entrecampos.

Admitindo que este período seja o mais complicado de toda a obra, a autarquia recomenda os condutores a encontrarem caminhos alternativos (que podem ser consultados no site da Câmara de Lisboa) para se dirigirem ao Saldanha, Marquês de Pombal e Baixa.

Se possível, a Câmara aconselha os munícipes a deixarem o carro e optarem por transportes públicos.

A empreitada, que vai ser dividida por seis frentes de trabalho, seguirá depois para junto ao Mercado 31 de Janeiro e para as ruas interiores deste eixo central (Viriato, Tomás Ribeiro, Andrade Corvo, Martens Ferrão), terminando no Saldanha.

Orçada em 7,5 milhões de euros, a intervenção tem uma duração estimada de nove meses, devendo estar concluída nos primeiros meses de 2017.

Em causa está o alargamento dos passeios, a criação de zonas verdes e de estadia, a repavimentação das faixas de rodagem (feita durante a noite), o reordenamento do estacionamento e a criação de uma ciclovia bidirecional, no âmbito do programa municipal "Uma praça em cada bairro".

Lusa

  • Marcelo de volta a casa após diagnóstico de gastroenterite aguda
    3:37
  • "Todas as decisões que tomei foi sempre a pensar no Sporting primeiro"
    2:08
  • Saransk tanto anseia por Ronaldo que até lhe fizeram um vídeo e uma música
    3:07
  • Portugal quer atrair imigrantes
    1:28

    País

    O Governo prepara-se para regularizar a situação de 30 mil imigrantes ilegais que vivem em Portugal. De acordo com a edição deste sábado do semanário Expresso, o Executivo pretende também abrir portas a 75 mil novos imigrantes por ano.