sicnot

Perfil

País

Marcelo reúne-se hoje com homólogo Filipe Nyusi

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, prossegue hoje a visita de Estado a Moçambique, num dia dominado por contactos políticos e institucionais e que tem no topo da agenda o encontro com o homólogo Filipe Nyusi.

LUSA

A agenda do segundo de quatro dias da deslocação do chefe de Estado português começa com a cerimónia de deposição de uma coroa de flores no Monumento aos Heróis Moçambicanos, seguindo-se o encontro com o Presidente da República de Moçambique, a primeira ocasião em que Marcelo Rebelo de Sousa e Filipe Nyusi estarão lado a lado durante esta visita de Estado.

Na terça-feira, questionado sobre uma eventual ação de Portugal relacionada com o conflito moçambicano entre Frelimo e Renamo, o Presidente português defendeu que não se deve "pôr o carro à frente dos bois", salientando que "num Estado soberano quem tem a palavra decisiva é o poder político do Estado soberano".

Hoje, depois das declarações conjuntas à comunicação social, os dois chefes de Estado estarão novamente juntos num almoço com cerca de 150 empresários e administradores de empresas moçambicanas e portuguesas com presença em Moçambique, iniciativa que contou com a colaboração da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).

No primeiro dia da visita, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que Portugal acredita no futuro de Moçambique e vai manter e aumentar o investimento neste país, apesar das atuais dificuldades económicas e financeiras e da crise político-militar.

"A minha palavra de ordem é: o investimento português em Moçambique é fundamental, é para continuar e é para aumentar", declarou o chefe de Estado.

O chefe de Estado português disse então que a situação de Moçambique "vai ser objeto de compreensão" durante a sua visita a Moçambique e que só hoje teria os contactos políticos e institucionais que lhe permitiriam "compreender efetivamente como está a realidade moçambicana".

À tarde, o chefe de Estado português visita a metalomecânica Mecwide e a empresa Sumol/Compal, nos arredores da capital moçambicana.

Depois, janta com o Presidente da República de Moçambique no Palácio da Ponta Vermelha - onde o seu pai, Baltazar Rebelo de Sousa, residiu durante o período colonial, quando foi governador-geral de Moçambique, entre 1968 e 1970.

A última ocasião em que os Presidentes de Portugal e Moçambique estarão juntos no âmbito desta visita de Estado acontecerá no último ponto da agenda, na sexta-feira, num jantar oferecido por Marcelo Rebelo de Sousa em honra de Filipe Nyusi, no hotel Polana.

Lusa

  • Jovens adoptados e filha do líder da IURD com versões diferentes dos acontecimentos
    4:06

    País

    Os jovens adoptados e a filha do bispo Edir Macedo, que alegadamente os adoptou, têm versões diferentes sobre o que aconteceu. Vera e Luís Katz garantem que foram adoptados por uma família norte-americana, com que viveram até aos 20 anos. Viviane Freitas, filha do líder da Igreja Universal do Reino de Deus, conta que foi mãe das crianças durante três anos, apesar de lhe ter sido negada a adopção.

  • Cabecilha da seita Verdade Celestial é "mentiroso, egocêntrico e psicótico"
    2:22

    País

    O cabecilha da seita "Verdade Celestial" foi condenado a 23 anos de pena de prisão por abusos sexuais de crianças e adolescentes. O juiz diz que o cabecilha do grupo era mentiroso patológico, egocêntrico, impulsivo e com personalidade psicótica. Dos oito acusados, duas mulheres foram absolvidas e seis arguidos foram condenados a penas efectivas. A rede de abusadores foi desmantelada há dois anos, numa quinta de Palmela.

  • Mau tempo obriga ao cancelamento de centenas de voos na Europa
    1:21