sicnot

Perfil

País

Portugal com segunda maior subida de emissões de CO2 na UE

As emissões de dióxido de carbono (CO2) na área da energia aumentaram ligeiramente na União Europeia, em 2015, mas Portugal registou uma subida mais acentuada, sendo o segundo maior acréscimo entre os Estados membros, revela o Eurostat.

Portugal tem duas grandes centrais a carvão, em Sines (na foto) e no Pego.

Portugal tem duas grandes centrais a carvão, em Sines (na foto) e no Pego.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters (Arquivo)

As emissões de CO2 relacionadas com os combustíveis fósseis, o principal responsável pelo aquecimento do planeta e pelas alterações climáticas, subiram 0,7% em comparação com os valores de 2014, segundo as estimativas divulgadas na terça-feira pelo gabinete oficial de estatísticas da União Europeia (UE).

Em Portugal, a subida de emissões foi de 8,6% em 2015, só ultrapassado pela Eslováquia, com 9,5%.

Ao contrário, Malta, Estónia, Dinamarca e Finlândia apresentam as descidas mais acentuadas.

O dióxido de carbono contribuiu com 80% para o conjunto dos gases com efeito de estufa, que a UE, como o resto do mundo, está a tentar reduzir com várias medidas, nomeadamente nos setores da energia e dos transportes, e com a assinatura do acordo global sobre o clima, no âmbito da ONU.

Portugal tem duas grandes centrais a carvão, em Sines e no Pego, e a sua atividade depende de vários fatores, desde o nível de consumo, relacionado com a situação económica do país, às condições meteorológicas, pois em anos secos, a falta de chuva vai implicar menos produção de energia nas centrais hidroelétricas, sendo necessário recorrer mais ao carvão.

Especialistas da Agência Internacional da Energia (IEA na sigla em inglês), citados num estudo de 2015, defendem que as emissões de CO2 com origem na queima de carvão terão de descer em média 8% por ano até 2040 para manter o aquecimento global abaixo de dois graus Celsius.

Lusa

  • Como reduzir as emissões de gases com efeito de estufa

    Infografias

    O efeito de estufa é um fenómeno global muito importante para a existência de vida, como a conhecemos, no Planeta Terra. Se a atmosfera terrestre não tivesse na sua composição gases com efeito de estufa (GEE), a Terra teria uma temperatura média muito mais baixa (cerca de -20°C). Estes gases funcionam como uma espécie de "cobertor" que envolve a Terra, mantendo uma temperatura amena (cerca de 15°C em média) à superfície. Ora, o aumento de concentração de GEE vai exacerbar o efeito de estufa e aumentar a temperatura média global. Há uma série de gases com efeito de estufa, como o Dióxido de carbono (CO2), o Metano (CH4) e o Óxido nitroso (N2O).

  • Troika nem sempre protegeu os mais vulneráveis, conclui avaliação do FMI

    Economia

    O organismo de avaliação independente do FMI concluiu que as medidas aplicadas pela troika em Portugal nem sempre protegeram as pessoas com menos rendimentos, apontando que a primeira preocupação do Fundo era a redução dos défices, apurou o gabinete independente de avaliação do Fundo Monetário Internacional (FMI),

  • "A maioria das pessoas que criticou André Ventura nunca viveu esses problemas"
    3:43

    Opinião

    A polémica em torno das declarações do candidato do PSD à Câmara de Loures, André Ventura, sobre o modo de vida da etnia cigana no concelho, esteve em análise no Jornal da Noite desta segunda-feira. Miguel Sousa Tavares defende que "os problemas existem mas não podem ser generalizados". O comentador SIC considera, ainda assim, que André Ventura tem razão quando diz que "a maioria das pessoas que o criticou nunca viveu esses problemas".

    Miguel Sousa Tavares