sicnot

Perfil

País

Pena máxima para autor de quatro homicídios na Póvoa de Varzim

O homem que matou a tiro a ex-companheira, os ex-sogros e o ex-enteado, a 28 de abril de 2015, na Estela, Póvoa de Varzim, foi hoje condenado a 25 anos de prisão, pena máxima permitida em Portugal.

O arguido, um homem de 44 anos, ainda fugiu. Foi detido na autoestrada de Valença, a dois quilómetros de Espanha, depois de se ter despistado.

Mais tarde confessou ter matado a tiro a ex-companheira, os ex-sogros e o ex-enteado por causa de uma divisão de bens e rendas de terrenos.

Durante o julgamento, iniciado a 10 de fevereiro e que decorreu em Matosinhos, o arguido de 42 anos confessou os homicídios e disse "não conseguir entender como fez aquilo que fez", explicando que para "ganhar coragem" bebeu meia garrafa de uísque antes de cometer os crimes.

Nas alegações finais, o Ministério Público pediu pena máxima (25 anos) para o homem que está em prisão preventiva desde o dia 29 de abril do ano passado, um dia depois dos crimes.

Com Lusa

  • PSOE apresenta moção de censura contra Mariano Rajoy

    Mundo

    O PSOE apresenta hoje uma moção de censura contra o presidente do governo, Mariano Rajoy. A notícia está a ser avançada pelos meios de comunicação social espanhóis. Em causa está a condenação judicial de vários dirigentes do Partido Popular no caso de corrupção, conhecido como "Gurtel".

  • Assembleia-geral do Sporting marcada para 23 de junho
    2:57
  • Congresso do PS começa hoje na Batalha

    País

    O 22.º Congresso do PS começa hoje, na Batalha, distrito de Leiria, e durante o qual o secretário-geral, António Costa, deverá defender uma linha de continuidade estratégica, procurando, em simultâneo, projetar desafios estruturais que se colocam ao país.

  • Pelo menos 50 mortos em naufrágio na RD Congo

    Mundo

    Cinquenta corpos foram resgatados depois que um barco ter naufragado num rio no noroeste da República Democrática do Congo (RDCongo) na quarta-feira, de acordo com um relatório oficial entregue hoje à Agência France Presse (AFP).

  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC