sicnot

Perfil

País

Pena máxima para autor de quatro homicídios na Póvoa de Varzim

O homem que matou a tiro a ex-companheira, os ex-sogros e o ex-enteado, a 28 de abril de 2015, na Estela, Póvoa de Varzim, foi hoje condenado a 25 anos de prisão, pena máxima permitida em Portugal.

O arguido, um homem de 44 anos, ainda fugiu. Foi detido na autoestrada de Valença, a dois quilómetros de Espanha, depois de se ter despistado.

Mais tarde confessou ter matado a tiro a ex-companheira, os ex-sogros e o ex-enteado por causa de uma divisão de bens e rendas de terrenos.

Durante o julgamento, iniciado a 10 de fevereiro e que decorreu em Matosinhos, o arguido de 42 anos confessou os homicídios e disse "não conseguir entender como fez aquilo que fez", explicando que para "ganhar coragem" bebeu meia garrafa de uísque antes de cometer os crimes.

Nas alegações finais, o Ministério Público pediu pena máxima (25 anos) para o homem que está em prisão preventiva desde o dia 29 de abril do ano passado, um dia depois dos crimes.

Com Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.