sicnot

Perfil

País

Portugueses vítimas de tráfico humano no estrangeiro triplicaram

O número de portugueses suspeitos de terem sido vítimas de tráfico de seres humanos no estrangeiro mais do que triplicou em 2015 face a 2014, tendo sido sinalizados 58 casos, segundo o Observatório do Tráfico de Seres humanos (OTSH).

(Arquivo)

(Arquivo)

O relatório de 2015 do OTSH indica que, em 2015, foram sinalizados 58 portugueses presumíveis vítimas de tráfico de seres humanos no estrangeiro, mais 43 do que em 2014.

O documento dá conta que, do total de casos, dois dizem respeito a menores, não especificando quantas situações de tráfico de seres humanos de portugueses no estrangeiro foram confirmadas, uma vez que são dados protegidos "por segredo estatístico".

De acordo com o OTSH, a maior parte dos portugueses no estrangeiro é vítima de exploração laboral (48 casos sinalizados), nomeadamente no setor agrícola.

À semelhança de anos anteriores, o principal país de destino sinalizado é Espanha (45), nomeadamente a região de Navarra, em tráfico laboral na agricultura, setor que segundo dados do Ministério Interior espanhol, agregou 28 por ceto do total das 134 vítimas de exploração laboral identificadas em Espanha em 2015, indica o OTSH.

O documento daquele organismo do Ministério da Administração Interna (MAI) refere que estão protegidas por segredo estatístico situações suspeitas de tráfico para fins de adoção, tráfico para fins de exploração sexual e outras formas.

Lusa

  • "Tudo o que o Benfica está a fazer é uma forma de coação"
    1:59
    Play-Off

    Play-Off

    DOMINGO 22:00

    As queixas do Benfica contra a Federação Portuguesa de Futebol e a Liga foram tema de debate no Play-Off da SIC Notícias. Rodolfo Reis, Manuel Fernandes e Rui Santos acreditam que a posição está relacionada com o clássico Benfica-Porto do próximo sábado. Já João Alves considera que estes comunicados podem prejudicar o Benfica.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41
  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.