sicnot

Perfil

País

Queima das Fitas de Coimbra arranca com Serenata Monumental na Sé Velha

A Queima das Fitas de Coimbra inicia-se hoje à noite com a Serenata Monumental, na Sé Velha, e os habituais concertos na Praça da Canção arrancam na sexta-feira e prolongam-se até dia 13.

PAULO NOVAIS

As 12 badaladas da torre da Universidade de Coimbra, que assinalam as 00:00, assinalam também o arranque da mais antiga Queima das Fitas em Portugal.

O cortejo da Queima das Fitas realiza-se no domingo, com arranque agendado para as 14:00.

As noites na Praça da Canção, também apelidada por estes dias de "Queimódromo", começam na sexta-feira e estendem-se até 13, num cartaz que procura ter "uma escolha o mais eclética possível", encontrando-se nomes da pop, rock, pimba, hip-hop, kizomba ou música eletrónica, numa seleção que resgata nomes que já passaram pela Queima, como Gabriel o Pensador, Dj Ride, Editors ou Linda Martini.

Na primeira noite de concertos, na sexta-feira, sobem ao palco da Praça da Canção o músico português Agir e o angolano C4 Pedro.

No sábado (07), atuam a banda portuguesa Linda Martini e os britânicos Editors, que lançaram em 2015 o seu quinto álbum de estúdio, "In Dream".

Depois da habitual presença de Quim Barreiros na noite de cortejo, a Queima das Fitas de Coimbra recebe a 09 uma noite inteiramente dedicada ao hip-hop, com os portuenses Dealema e o rapper Valete.

O hip-hop também será ouvido a 10, com o brasileiro Gabriel O Pensador, que lançou em 2015 o seu sétimo álbum, "Sem Crise". Na mesma noite apresenta-se o projeto de pop D.A.M.A..

Ainda atuam na Queima das Fitas de Coimbra Dj Ride, Jimmy P e Regula, a 11, e Olga Ryazanova, Jay Hardway e Dj Chuckie, a 12.

Na última noite de concertos na Praça da Canção, a organização optou por ter um alinhamento "virado para a cidade", com dois nomes da música portuguesa: António Zambujo e Miguel Araújo.

No palco secundário, a cargo da Rádio Universidade de Coimbra entre sexta-feira e segunda-feira, atuam Flamingods, Pop Dell'Arte, College e Maethelvin, Anklepants, Matias Aguayo e Tessela, entre outros.

A Garraiada, que este ano sofre alterações e deixa de ter bandarilheiros, decorre no dia, como habitualmente na Figueira da Foz.

O preço do bilhete geral para concertos é de 49 euros e os pontuais custam entre 5 e 10 euros para estudante e 8 e 15 euros para não estudante, sendo que estudantes com bolsa máxima têm direito a convite geral.

Lusa

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.