sicnot

Perfil

País

João Soares diz que se demitiu para não prejudicar Governo

O antigo ministro da Cultura João Soares mostrou-se hoje surpreendido com a reação pública às "bofetadas" que prometeu a dois cronistas do Público, afirmando que se demitiu para não prejudicar o Governo.

O atual deputado socialista falava, pela primeira vez desde que se demitiu, no início de abril, em entrevista à RTP3, depois de prometer "salutares bofetadas" na rede social do Facebook ao sociólogo Augusto M. Seabra e ao historiador Vasco Pulido Valente.

"Devo dizer-lhe que me surpreendeu a reação que se seguiu. Trata-se obviamente de uma metáfora e de um texto do mais ligeiro que é possível", afirmou João Soares.

O deputado considerou também "inacreditável" que os telejornais daquele dia, durante o qual se realizou o Conselho de Estado, em que estava no país o presidente do Banco Central Europeu e o ministro das Finanças tenha ido ao parlamento para falar da questão do Banif, tenham "aberto com as bofetadas de João Soares".

Reafirmando que diz o que pensa, João Soares sublinhou que para não prejudicar o Governo e o primeiro-ministro, António Costa, em quem confia, decidiu demitir-se.

"Também é uma coisa relativamente pouco comum, passo a imodéstia, que é o desapego do poder. Gostava muito de estar a trabalhar no Ministério da Cultura, mas sou um homem desapegado do poder. No momento em que senti que podia estar a prejudicar o Governo, saí e devo dizer-lhe uma coisa: o primeiro-ministro nunca me pôs a questão de eu me dever demitir", explicou João Soares.

O ex-presidente da Câmara de Lisboa afirmou também que as palavras proferidas pelo primeiro-ministro sobre assunto não influenciaram o seu pedido de demissão.

Após a mensagem divulgada no Facebook por João Soares, e já depois de o antigo ministro da Cultura ter pedido desculpas, o primeiro-ministro voltou a fazer um pedido de desculpas e a pedir aos membros do Governo para serem "contidos na forma como expressam emoções".

Na entrevista, João Soares disse "acreditar profundamente" no atual Governo de "esquerda com o apoio de toda a esquerda do parlamento".

"Está a constituir, por um lado, qualquer coisa de profundamente inovador para política portuguesa e também um exemplo muito importante para a Europa", concluiu.

Lusa

  • Governo garante reforço das verbas para defesa da floresta até ao fim do ano
    2:37

    País

    O Governo rejeitou centenas de candidaturas com projetos para a prevenção de incêndios florestais, por falta de verbas. Perante a situação, o Bloco de Esquerda questionou o Ministério da Agricultura sobre as reprovações. Contudo, contactado pela SIC, o ministro Capoulas Santos garantiu que o programa de desenvolvimento rural está a ser reajustado e, até ao final do ano, está previsto o reforço de verbas.

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • Governo quer entregar OE 2018 a 13 de outubro
    1:33
  • Casa Branca isolada devido a pacote suspeito

    Mundo

    A Casa Branca foi esta terça-feira isolada devido à presença de um pacote suspeito junto a uma das vedações que limitam o edifício governamental norte-americano. A situação já foi normalizada e o objeto retirado do local.

  • Três irmãos resgatados dos escombros em Itália
    1:24
  • Participante no incidente em Charlottesville teme pela vida
    1:43

    Mundo

    Um dos participantes nos incidentes em Charlottesville e membro de um grupo de extrema-direita supremacista teme vir a ser detido ou até morto, pelas declarações que fez durante uma reportagem da Vice News, que se tornou viral nas redes sociais.