sicnot

Perfil

País

Passos acusa Governo de alterar regras dos contratos celebrados

Passos acusa Governo de alterar regras dos contratos celebrados

Depois da polémica em torno do financiamento do Estado a turmas dos colégios privados, Pedro Passos Coelho acusa o Governo de estar a quebrar as regras que foram celebradas nos contratos de associação e avisa que podem vir aí consequências para o Estado. O ex-primeiro-ministro considerou ainda a atitude do Governo retrógrada.

  • Alunos e professores de colégio privado protestam contra novas regras
    2:01

    País

    Os alunos e professores do Instituto Nun'Alvares, em Santo Tirso, protestaram hoje contra as novas regras dos contratos de associação. A partir do próximo ano letivo, o estado vai deixar de pagar por novas turmas em colégios privados, em regiões onde exista vagas na rede pública. A Associação de Pais está preocupada com a possível interrupção dos ciclos educativos, contudo O Ministério da Educação garante que isso não vai acontecer.

  • Colégios em protesto contra fim do apoio estatal
    2:59

    País

    Os colégios privados estão hoje em protesto contra o fim do apoio do Estado. Alegam que se o dinheiro público acabar, podem ser obrigados a cortar turmas e a despedir pessoal. Em Famalicão e Santo Tirso, por exemplo, o protesto dos colégios privados juntou, esta manhã, centenas de alunos, pais, professores e dirigentes escolares.

  • Colégios privados queixam-se que Governo está a quebrar contrato
    3:19

    País

    A guerra entre o Governo e os colégios privados com contratos de associação volta a acender-se. O Ministério da Educação quer mudar as regras já no próximo ano letivo, reduzindo as turmas financiadas sempre que exista oferta na rede pública, como prevê a lei. As escolas do ensino cooperativo queixam-se que o Governo está a quebrar um contrato, assinado há menos de um ano com o Governo do PSD e com validade de três anos. Rodrigo Queiroz e Melo da Associação Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo dá a sua opinião sobre o assunto.

  • Ministério não volta atrás e vai reduzir turmas dos colégios privados
    2:31

    País

    O Ministério da Educação não vai voltar atrás e garante que no próximo ano vai mesmo reduzir as turmas dos colégios privados financiadas pelo Estado. As escolas com contrato de associação queixam-se de quebra de compromisso com contratos assinanados há menos de um ano pelo Governo do PSD. Cerca de 1700 turmas de 68 escolas. O Estado gastava 80.500€ por turma. Os colégios dizem que vão ser obrigados a despedir, alguns deles podem mesmo fechar.

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.