sicnot

Perfil

País

Túnel do Marão é alternativa ao IP4 onde morreram 136 pessoas em 20 anos

Os números negros da sinistralidade no Itinerário Principal 4 (IP4) sustentaram a reivindicação de uma autoestrada alternativa a esta via, na área dos concelhos de Amarante e Vila Real, e onde, em 20 anos, morreram 136 pessoas.

PEDRO ROSÁRIO

A ligação entre Vila Real e Amarante pelo IP4, a primeira via rápida a rasgar este território, ficou concluída em 1988. Até então a principal via de ligação ao litoral era a Estrada Nacional 15 (EN 15) que subia e descia pela serra e a nova estrada permitiu poupar "duas horas na viagem" e ainda "no desgaste das viaturas" e nos "combustíveis".

Mas, apesar de melhorar as acessibilidades e já aproximar significativamente a zona do Porto e Trás-os-Montes, a nova estrada entrou também para a história desta região pelos números negros da sinistralidade.

Em 2000, foi criada a Associação dos Utilizadores do IP4 (AUIP4) precisamente para alertar para o elevado número de acidentes e de mortos nesta estrada e para reivindicar melhores condições de segurança rodoviária.

Dois anos depois, sociedade civil, autarcas e políticos juntaram-se para subscrever uma petição a reivindicar o prolongamento da Autoestrada 4 (A4), de Amarante até Bragança.

Na altura alertava-se também para os índices de tráfego do IP4, "muito mais elevados do que aqueles para que a estrada foi construída".

"Essencialmente o que se reivindicava era que as pessoas deixassem de morrer no IP4", afirmou hoje à agência Lusa Henrique Baptista, que foi dirigente da entretanto desativada AUIP4.

Segundo esta associação, o ano mais negro da história do IP4 foi em 2004, quando morreram 33 pessoas em toda a sua extensão, desde Amarante, Vila Real a Bragança.

Segundo dados fornecidos à agência Lusa pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), nos concelhos de Vila Real e Amarante houve, nesse ano, 111 acidentes com vítimas e 22 mortos.

Em 2005, o IP4 foi alvo de uma intervenção, a nível do piso e sinalização, foram ainda colocadas balizas rebatíveis de posição ao eixo, pequenos separadores que aplicados nas zonas consideradas mais perigosas da via.

E, após esta intervenção, os índices de sinistralidade diminuíram consideravelmente.

De acordo com a ANSR, em quase 20 anos, entre 1996 e 2015, registaram-se 1.273 acidentes com vítimas no troço compreendido entre Amarante e Vila Real. Destes acidentes resultaram 136 mortos, 200 feridos graves e 1.807 feridos ligeiros.

É precisamente para este troço que a Autoestrada do Marão -- Túnel do Marão, que abre às 00:00 de domingo, se apresenta como alternativa.

Com a nova via pretende-se a redução de 26% da taxa de sinistralidade grave, a diminuição do tempo médio de viagem e a garantia de mobilidade em condições atmosféricas adversas (gelo e neve), que às vezes condiciona o IP4 no seu ponto mais alto, o Alto de Espinho.

"Já era altura de homenagear todas as pessoas que perderam a vida no IP4. Só os números negros da sinistralidade justificavam a nova via e é de bom grado que vemos esta autoestrada finalmente a abrir", salientou Henrique Baptista.

No entanto, o responsável disse que espera que agora "não se abandone" o IP4 e que esta estrada continue a "merecer a devida atenção e manutenção", porque "há muitas pessoas que vão continuar a usar esta via, até porque o Túnel do Marão é portajado".

Este ano morreram duas pessoas neste itinerário. Henrique Baptista referiu que o piso do IP4 começa a "revelar sinais de degradação, que é preciso ter em atenção".

Lusa

  • Túnel do Marão é o maior da Península Ibérica
    2:31

    País

    O Túnel do Marão abre ao trânsito à meia-noite de dia 7 para 8 de maio. É uma das obras mais esperadas em Trás-os-Montes e permite atravessar o Marão em 20 minutos e com muito mais segurança. Com 5,6 quilómetros, o túnel é o maior da Península Ibérica. A SIC acompanhou uma viagem de autocarro no IP4 antes da abertura da alternativa.

  • Autoestrada do Marão é inaugurada sábado
    2:31

    País

    A autoestrada do Marão, que liga Amarante a Vila Real, vai ser inaugurada no sábado, sete anos depois do início da obra. A autoestrada tem 26 quilómetros, quase seis por túnel e, representa um investimento de 270 milhões de euros.

  • "Há uma grande diferença em relação à anterior liderança do PSD"
    14:29

    País

    O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, esteve esta quarta-feira na Edição da Noite da SIC Notícias. As novas relações com o PSD e a reprogramação do Portugal 2020 foram alguns dos temas de conversa. Pedro Marques defende que existe "uma grande diferença" entre as lideranças de Passos Coelho e Rui Rio no PSD.

    Entrevista SIC Notícias

  • Dia de homenagens e muito futebol para Marcelo em São Tomé
    3:01

    País

    No segundo dia da visita de Estado a São Tomé e Príncipe, o Presidente da República prestou homenagem às vítimas do massacre de Batepá, em 1953. Marcelo Rebelo de Sousa não pediu desculpa pela história, mas lembrou que é preciso assumir as coisas menos boas do passado. O dia terminou com o Presidente a mostrar que ainda está em forma.

    Enviados SIC

  • Patinadora enfrenta "pesadelo" nos Olímpicos

    Desporto

    A patinadora Gabriella Papadakis enfrentou na segunda-feira um dos "piores pesadelos" da sua vida, durante a estreia nos Jogos Olímpicos de Inverno, em Pyeongchang, na Coreia do Sul. Durante a apresentação, a parte de cima do vestido da francesa saiu do lugar e revelou parte do seu seio. Mas este não foi o único caso de incidentes com figurinos. Também a sul-coreana Yura Min quase ficou despida durante a sua apresentação.

    SIC

  • Casal mantinha filhos trancados sem comida

    Mundo

    Se pensava que só existia uma casa dos horrores, a da família Turpin, desengane-se. A polícia de Tucson, no estado norte-americano do Arizona, deteve na terça-feira um casal que mantinha os quatro filhos adotivos trancados em quartos separados.

    SIC

  • Pigcasso, a porca pintora que tem uma galeria de arte

    Mundo

    O nome sugere o talento da artista que vive na Cidade do Cabo, na África do Sul. Pigcasso estava prestes a morrer, quando foi resgatada por uma ativista que a ajudou a enveredar pelo caminho da pintura. Desde pequena começou a pegar em pincéis e agora é o primeiro animal do mundo com uma galeria de arte, onde já lançou a sua primeira exposição intitulada 'Oink!'.