sicnot

Perfil

País

Túnel do Marão é alternativa ao IP4 onde morreram 136 pessoas em 20 anos

Os números negros da sinistralidade no Itinerário Principal 4 (IP4) sustentaram a reivindicação de uma autoestrada alternativa a esta via, na área dos concelhos de Amarante e Vila Real, e onde, em 20 anos, morreram 136 pessoas.

PEDRO ROSÁRIO

A ligação entre Vila Real e Amarante pelo IP4, a primeira via rápida a rasgar este território, ficou concluída em 1988. Até então a principal via de ligação ao litoral era a Estrada Nacional 15 (EN 15) que subia e descia pela serra e a nova estrada permitiu poupar "duas horas na viagem" e ainda "no desgaste das viaturas" e nos "combustíveis".

Mas, apesar de melhorar as acessibilidades e já aproximar significativamente a zona do Porto e Trás-os-Montes, a nova estrada entrou também para a história desta região pelos números negros da sinistralidade.

Em 2000, foi criada a Associação dos Utilizadores do IP4 (AUIP4) precisamente para alertar para o elevado número de acidentes e de mortos nesta estrada e para reivindicar melhores condições de segurança rodoviária.

Dois anos depois, sociedade civil, autarcas e políticos juntaram-se para subscrever uma petição a reivindicar o prolongamento da Autoestrada 4 (A4), de Amarante até Bragança.

Na altura alertava-se também para os índices de tráfego do IP4, "muito mais elevados do que aqueles para que a estrada foi construída".

"Essencialmente o que se reivindicava era que as pessoas deixassem de morrer no IP4", afirmou hoje à agência Lusa Henrique Baptista, que foi dirigente da entretanto desativada AUIP4.

Segundo esta associação, o ano mais negro da história do IP4 foi em 2004, quando morreram 33 pessoas em toda a sua extensão, desde Amarante, Vila Real a Bragança.

Segundo dados fornecidos à agência Lusa pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), nos concelhos de Vila Real e Amarante houve, nesse ano, 111 acidentes com vítimas e 22 mortos.

Em 2005, o IP4 foi alvo de uma intervenção, a nível do piso e sinalização, foram ainda colocadas balizas rebatíveis de posição ao eixo, pequenos separadores que aplicados nas zonas consideradas mais perigosas da via.

E, após esta intervenção, os índices de sinistralidade diminuíram consideravelmente.

De acordo com a ANSR, em quase 20 anos, entre 1996 e 2015, registaram-se 1.273 acidentes com vítimas no troço compreendido entre Amarante e Vila Real. Destes acidentes resultaram 136 mortos, 200 feridos graves e 1.807 feridos ligeiros.

É precisamente para este troço que a Autoestrada do Marão -- Túnel do Marão, que abre às 00:00 de domingo, se apresenta como alternativa.

Com a nova via pretende-se a redução de 26% da taxa de sinistralidade grave, a diminuição do tempo médio de viagem e a garantia de mobilidade em condições atmosféricas adversas (gelo e neve), que às vezes condiciona o IP4 no seu ponto mais alto, o Alto de Espinho.

"Já era altura de homenagear todas as pessoas que perderam a vida no IP4. Só os números negros da sinistralidade justificavam a nova via e é de bom grado que vemos esta autoestrada finalmente a abrir", salientou Henrique Baptista.

No entanto, o responsável disse que espera que agora "não se abandone" o IP4 e que esta estrada continue a "merecer a devida atenção e manutenção", porque "há muitas pessoas que vão continuar a usar esta via, até porque o Túnel do Marão é portajado".

Este ano morreram duas pessoas neste itinerário. Henrique Baptista referiu que o piso do IP4 começa a "revelar sinais de degradação, que é preciso ter em atenção".

Lusa

  • Túnel do Marão é o maior da Península Ibérica
    2:31

    País

    O Túnel do Marão abre ao trânsito à meia-noite de dia 7 para 8 de maio. É uma das obras mais esperadas em Trás-os-Montes e permite atravessar o Marão em 20 minutos e com muito mais segurança. Com 5,6 quilómetros, o túnel é o maior da Península Ibérica. A SIC acompanhou uma viagem de autocarro no IP4 antes da abertura da alternativa.

  • Autoestrada do Marão é inaugurada sábado
    2:31

    País

    A autoestrada do Marão, que liga Amarante a Vila Real, vai ser inaugurada no sábado, sete anos depois do início da obra. A autoestrada tem 26 quilómetros, quase seis por túnel e, representa um investimento de 270 milhões de euros.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59