sicnot

Perfil

País

Cerca de mil pessoas atravessaram o túnel do Marão antes da cerimónia de inauguração

Cerca de mil pessoas atravessaram o túnel do Marão antes da cerimónia de inauguração

Antes da inauguração, cerca de mil pessoas tiveram a oportunidade de atravessar o túnel do Marão e de o conhecer antes de todos os outros. Alguns fizeram-nos a pé, outros a correr ou de bicicleta.

  • Túnel do Marão inaugurado com António Costa e José Sócrates e sem Passos Coelho
    0:38

    País

    É hoje inaugurado o Túnel do Marão que contará com a presença de António Costa e José Socrates e sem Passos Coelho. O líder do PSD não estará presente porque já tem uma conferência no Porto organizada pelo partido e garante que mesmo que, ainda que fosse chefe do executivo, não estaria presente. Afirma que deveria ir o ministro da Economia porque numa obra "consensual" não se devem "reclamar louros".

  • Cristas elogia anterior Governo pela conclusão do túnel do Marão
    0:13

    País

    Assunção Cristas elogiou o anterior governo pelo esforço que fez para concluir a obra do túnel do Marão numa altura de grande constrangimento financeiro. De visita à feira de Vale de Cambra, em Aveiro, a líder do CDS concorda com Passos Coelho e diz que esta não é uma obra dos partidos mas sim, do país.

  • Durão Barroso sublinha participação da UE no túnel do Marão
    1:00

    País

    A inauguração do túnel do Marão foi tema do debate promovido pelo PSD no Porto sobre o futuro da Europa. O ex-presidente da Comissão Europeia Durão Barroso fez questão de dizer que o progresso económico e social dos últimos anos não seria possível sem as ajudas comunitárias e lançou mais uma polémica em torno da lista de convidados da cerimónia de inauguração do túnel do Marão.

  • Túnel do Marão inaugurado sete anos depois
    3:07

    País

    Ao fim de sete anos, foi finalmente inaugurado o túnel do Marão. O maior túnel rodoviário da Peninsula Ibérica passa a tornar mais fáceis as ligações a Vila Real e a Bragança. Esta é uma obra que o primeiro-ministro, António Costa, considera ser tão importante como a ponte sobre o Tejo. Na cerimónia de hoje, o túnel acabou por dividir as atenções com a presença de José Sócrates, que assistiu á inauguração.

  • Paulo Macedo pede calma para o bem do banco
    1:45

    Caso CGD

    Paulo Macedo falou pela primeira vez desde que foi eleito o novo Presidente da Caixa Geral de Depósitos e, para o bem do banco público, pediu calma a todos. Passos Coelho veio dizer que a recapitalização da Caixa pode ter de ser feita no verão do próximo ano para salvaguardar o défice deste ano. Já António Costa preferiu não comentar as declarações de Passos e diz que o banco público há muito que precisava de ser recapitalizado.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59
  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados". Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade.