sicnot

Perfil

País

Homem acusado de matar a mulher em Seia condenado a 19 anos de prisão

O homem acusado de matar a mulher num acidente rodoviário que terá simulado, em Seia, foi hoje condenado pelo tribunal da Guarda a 19 anos de prisão por crime de homicídio qualificado.

O caso remonta a 18 novembro de 2014 e o alegado acidente ocorreu na estrada de ligação Furtado - Sandomil, em Seia, na sequência de uma discussão sobre o relacionamento com a companheira Ana Rita, advogada, de 38 anos.

Segundo a acusação, o arguido, motivado por ciúmes, agrediu a companheira e, "com o intuito de provocar na vítima lesões compatíveis com a tese de acidente e que permitissem ocultar as lesões que lhe havia infligido voluntariamente, decidiu simular a ocorrência de um acidente de viação".

É referido que, mantendo a vítima no interior do carro, "destravou-o, abriu os vidros das janelas das portas do lado do condutor e do pendura e empurrou o veículo pela ravina ali existente, aguardando que este capotasse ou se incendiasse".

O tribunal de júri absolveu o homem, agora com 39 anos, da prática de sabotagem informática.

Durante o julgamento, a 25 de novembro, o homem tinha negado ter delineado um plano para matar a mulher.

  • Homicídio em Seia, leitura do acórdão marcada para hoje
    2:50

    País

    A poucas horas do tribunal da Guarda anunciar se Rui Andrade matou ou não a mulher, sabe-se que o tribunal de Pombal já decidiu o futuro das duas filhas menores. Quando o ano letivo terminar, a 9 de junho, as meninas de 6 e 8 anos deixam a casa dos avós maternos na Batalha e passam a residir com os avós paternos em Furtado, Seia. A administração dos bens das crianças fica a cargo do próprio arguido.

  • Fogo em Setúbal dominado
    2:31

    País

    O incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal está dominado. As chamas chegaram a ameaçar as casas, o que obrigou à retirada de cerca de 500 pessoas das habitações, como medida de precaução. Também o Hotel do Sado teve de ser evacuado.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.