sicnot

Perfil

País

Homem acusado de matar a mulher em Seia condenado a 19 anos de prisão

O homem acusado de matar a mulher num acidente rodoviário que terá simulado, em Seia, foi hoje condenado pelo tribunal da Guarda a 19 anos de prisão por crime de homicídio qualificado.

O caso remonta a 18 novembro de 2014 e o alegado acidente ocorreu na estrada de ligação Furtado - Sandomil, em Seia, na sequência de uma discussão sobre o relacionamento com a companheira Ana Rita, advogada, de 38 anos.

Segundo a acusação, o arguido, motivado por ciúmes, agrediu a companheira e, "com o intuito de provocar na vítima lesões compatíveis com a tese de acidente e que permitissem ocultar as lesões que lhe havia infligido voluntariamente, decidiu simular a ocorrência de um acidente de viação".

É referido que, mantendo a vítima no interior do carro, "destravou-o, abriu os vidros das janelas das portas do lado do condutor e do pendura e empurrou o veículo pela ravina ali existente, aguardando que este capotasse ou se incendiasse".

O tribunal de júri absolveu o homem, agora com 39 anos, da prática de sabotagem informática.

Durante o julgamento, a 25 de novembro, o homem tinha negado ter delineado um plano para matar a mulher.

  • Homicídio em Seia, leitura do acórdão marcada para hoje
    2:50

    País

    A poucas horas do tribunal da Guarda anunciar se Rui Andrade matou ou não a mulher, sabe-se que o tribunal de Pombal já decidiu o futuro das duas filhas menores. Quando o ano letivo terminar, a 9 de junho, as meninas de 6 e 8 anos deixam a casa dos avós maternos na Batalha e passam a residir com os avós paternos em Furtado, Seia. A administração dos bens das crianças fica a cargo do próprio arguido.

  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.