sicnot

Perfil

País

Oito pessoas retiradas junto a edifício em Lisboa cujas varandas ameaçam ruir

Um edifício na Travessa de Santa Marta, Lisboa, foi hoje vedado devido ao risco de desmoronamento de três varandas, o que levou à retirada de oito pessoas que viviam em anexos nas traseiras do prédio, segundo os bombeiros.

"O alerta foi dado às 04:30 por um morador daquela rua. As varandas do edifício de três andares estão em risco de ruir devido ao desgaste dos anos e possivelmente devido às chuvas dos últimos dias. O prédio só é habitado no rés-do-chão, mas não foi preciso retirar os seus moradores, uma vez que não os afeta", disse a mesma fonte.

De acordo com a fonte dos bombeiros, metade da varanda do segundo andar caiu, sem causar feridos.

"Como as varandas dão para a parte traseira do edifício e aí existem anexos onde vivem oito pessoas, por precaução, estas foram retiradas, devendo ser realojadas pelo serviço de Proteção Civil da Câmara Municipal de Lisboa", disse.

A mesma fonte adiantou que "o edifício n.º 7 da Travessa de Santa Marta já está vedado, por precaução".

No local encontra-se uma viatura dos Sapadores de Bombeiros de Lisboa.

Lusa

  • Casa Branca isolada devido a pacote suspeito

    Mundo

    A Casa Branca foi esta terça-feira isolada devido à presença de um pacote suspeito junto a uma das vedações que limitam o edifício governamental norte-americano. A situação já foi normalizada e o objeto retirado do local.

  • Inspetores do SEF cansados das promessas do Governo
    1:00

    País

    O sindicato do SEF garante que a segurança contra o terrorismo vai ser assegurada na greve de quinta-feira e sexta-feira nos aeroportos. Acácio Pereira, do sindicato, diz que os inspetores são quase escravos e que estão fartos das promessas do Governo. A greve deverá afetar cerca de 30 mil pessoas. 

  • Graça Fonseca, a primeira governante a assumir-se homossexual
    1:02

    País

    A secretária de Estado da Modernização Administrativa deu uma entrevista ao Diário de Notícias onde assume a sua homossexualidade. É a primeira vez que um governante português o faz. Graça Fonseca assume esta posição pública como uma "afirmação política".