sicnot

Perfil

País

Lisboa vai ter mais polícias e bombeiros a partir da próxima semana

O vereador dos Recursos Humanos da Câmara Municipal de Lisboa afirmou hoje, perante os deputados municipais, que o município vai receber "48 novos sapadores bombeiros", e em breve "43 polícias municipais".

SIC

"Na próxima segunda-feira vão entrar para o município de Lisboa mais 48 novos sapadores bombeiros, e 43 polícias municipais novos vindos da PSP em breve chegarão", disse João Paulo Saraiva na Assembleia Municipal de Lisboa (AML).

O autarca fala no âmbito da discussão do Relatório de Gestão e Demonstrações Financeiras de 2015, pela AML.

"O concurso para 100 cantoneiros está a correr bem e vamos poder incorporá-los ainda este ano, esperamos nós", acrescentou o responsável, lembrando limitações à contratação, impostas nos últimos anos pelo Orçamento do Estado.

Aquando da apresentação dos resultados financeiros, no início de abril, a diretora municipal de Finanças, Paula Costa, afirmou que em 2015, "155 pessoas saíram [em aposentações e rescisões amigáveis] e deram entrada 94".

Na altura, João Paulo Saraiva disse que "as entradas mais expressivas" devem ocorrer durante este ano.

Hoje, o autarca afirmou também que Lisboa está "num momento de racionalização das instalações municipais".

"Todos e cada um dos trabalhadores que saem dos sítios onde estão terão melhores condições de trabalho, e poderão prestar melhor serviço aos munícipes nos sítios para onde vão, nomeadamente no Entreposto", frisou.

É neste edifício da empresa Entreposto, Gestão Imobiliária, na Praça José Queirós (Olivais), que os serviços de Alcântara, da Rua da Boavista e de Monsanto vão ser realojados temporariamente, por cinco anos.

João Paulo Saraiva aproveitou para convidar todos os deputados municipais para uma visita ao local, em data a agendar.

Durante a sessão de hoje, este tema mereceu críticas de diversas forças representadas na AML.

O PCP criticou uma "nova descida de efetivos", número que o partido espera que possa "ser compensado por trabalhadores que estão a recibos verdes".

Na mesma linha, o PEV considerou que o "mapa de pessoal está aquém das necessidades do município", criticando o "aumento de verba para contratar serviços" externos.

"Se antes não se fazia mais porque não havia dinheiro, porque não se faz agora?", questionou a deputada Cláudia Madeira.

O CDS-PP, pela voz do deputado Diogo Moura, aproveitou para criticar o executivo considerando que se assiste a um "desinvestimento em pessoal, materiais e qualidade de serviço no Regimento de Sapadores Bombeiros".

Lusa

  • Chamas no concelho de Torre de Moncorvo ameaçaram aldeia
    1:30

    País

    Dois incêndios no concelho de Torre de Moncorvo deram luta aos bombeiros na tarde de ontem e também durante toda a noite. As chamas estiveram muito próximas da aldeia de Cabanas de Cima, mas os bombeiros conseguiram desviar o fogo.

  • Se

    Se Jaime Marta Soares tiver razão, se a ciência e as autoridades não forem - outra vez? - manipuladas pelo poder político, se a investigação - independente - concluir que o fogo começou muito antes da trovoada, então, estamos diante de um dos maiores embustes do Portugal democrático.

    Pedro Cruz

  • A reconstrução da Nacional 236
    1:44
  • Harry admite que ninguém na família real britânica quer ser rei ou rainha

    Mundo

    O príncipe Harry admitiu que nenhum dos mais jovens membros da família real britânica quer ser rei ou rainha. Numa entrevista exclusiva à revista norte-americana Newsweek, na qual aborda temas como a morte da mãe, que perdeu com apenas 12 anos, Harry afirma que ele e o irmão estão empenhados em "modernizar a monarquia".

    SIC