sicnot

Perfil

País

Nível das águas do Tejo vai aumentar nas próximas horas

O nível das águas do rio Tejo deverá aumentar nas próximas horas devido às descargas das barragens espanholas e portuguesas, sendo aguardado um novo 'pico' dos caudais por volta das 21:00, alertou a Proteção Civil de Santarém.

PAULO CUNHA

"Consolida-se assim a probabilidade de um episódio de cheia", pode ler-se no comunicado enviado às 15:00 pelo Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém.

A situação decorre "da precipitação que se tem sentido no distrito, mas essencialmente das descargas das barragens espanholas e portuguesas", explica o comando.

Na mesma nota, o CDOS alertou que "os níveis hidrométricos e caudais do rio Tejo têm vindo a aumentar e podem atingir os 2.000 metros cúbicos por segundo (m3/s) em Almourol nas próximas seis a oito horas".

A saída do rio das suas margens implica normalmente a inundação de zonas baixas, nomeadamente em Constância e Tancos (Vila Nova da Barquinha), e de algumas vias em vários concelhos do distrito de Santarém, com a possibilidade de isolamento da povoação de Reguengo do Alviela (Santarém), situação que chegou a estar prevista para a madrugada de terça-feira.

A Proteção Civil mantém assim as recomendações às populações para que retirem das zonas normalmente inundáveis equipamentos agrícolas, industriais, viaturas e outros bens e que levem os animais para locais seguros.

É ainda recomendado que não sejam atravessadas estradas ou zonas alagadas com viaturas ou a pé.

MYF // ROC

Lusa/fim

NewsSubjects:- Meteo - Inundações - Organizações de socorro - rios

20160511T160806

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18
  • Jornalista que denunciou corrupção do Governo de Malta morre em explosão

    Mundo

    A jornalista Daphne Caruana Galizia, que acusou o Governo de Malta de corrupção, morreu esta segunda-feira, numa explosão de carro. O ataque acontece duas semanas depois de a jornalista maltesa recorrer à polícia, para dizer que estava a receber ameaças de morte. A morte acontece quatro meses após a vitória do Partido Trabalhista de Joseph Muscat, nas eleições antecipadas pelo primeiro-ministro, após as alegações da jornalista, que o ligavam a si e à sua mulher ao escândalo dos Panama Papers. O casal negou as acusações de que teriam usado uma offshore para esconder pagamentos do Governo do Azerbaijão.