sicnot

Perfil

País

O tempo para hoje

O tempo para hoje

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê para hoje no continente céu muito nublado, diminuindo gradualmente de nebulosidade a sul do sistema montanhoso Montejunto-Estrela a partir da tarde, períodos de chuva ou aguaceiros, que poderão ser localmente fortes e acompanhados de trovoada, em especial nas regiões centro e sul até ao final da tarde, e que serão de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela até ao final da manhã e para o final do dia.

A previsão aponta também para vento fraco a moderado do quadrante sul, soprando moderado a forte com rajadas até 70 quilómetros por hora no litoral, em especial a sul do Cabo Espichel, tornando-se do quadrante oeste a partir da tarde.

Nas terras altas, o vento deverá soprar moderado a forte do quadrante sul com rajadas até 80 quilómetros por hora, em especial nas regiões do centro e sul, tornando-se do quadrante oeste a partir da tarde.

Na Madeira, prevê-se céu com períodos de muita nebulosidade, aguaceiros, que poderão ser por vezes intensos até ao início da manhã, tornando-se fracos e poucos frequentes, vento moderado a forte quadrante oeste, com rajadas até 70 quilómetros por hora, soprando forte com rajadas até 90 quilómetros por hora nas zonas montanhosas, tornando-se moderado a partir da tarde.

Está ainda prevista uma pequena subida de temperatura.

Nos Açores, prevêm-se períodos de céu muito nublado com abertas, aguaceiros fracos na madrugada e manhã e vento bonançoso a moderado.

Quanto às temperaturas, em Lisboa vão oscilar entre 11 e 17 graus Celsius, no Porto entre 10 e 16, em Vila Real entre 05 e 15, em Viseu entre 05 e 13, na Guarda entre 05 e 09, em Bragança entre 05 e 14, em Coimbra entre 10 e 17, em Castelo Branco entre 07 e 14, em Santarém entre 10 e 18, em Évora entre 09 e 16, em Beja entre 10 e 16, em Faro entre 14 e 18, no Funchal entre 16 e 21, em Ponta Delgada entre 13 e 18 e na Horta e Santa Cruz das Flores entre 13 e 17.

  • Acordo de concertação social assinado por todos os parceiros

    Economia

    Está assinado o acordo da Concertação Social que estipula a descida da TSU para as empresas como contrapartida do aumento do salário mínimo. Ao contrário do que é habitual, o momento não foi assinalado na sede do Conselho Económico e Social (CES), mas as assinaturas foram divulgadas no Twitter.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.