sicnot

Perfil

País

Protestos regressam aos colégios com contrato de associação

Protestos regressam aos colégios com contrato de associação

Os protestos regressaram, esta manhã, às 79 escolas com contrato de associação. Os edifícios estão com bandeiras e faixas amarelas, enquanto alunos, professores e funcionários usam peças de vestuário da mesma cor. A iniciativa "Quartas-feiras Amarelas" vai decorrer até ao final do ano letivo, em luta contra o fim do financiamento público.

  • Colégios protestam nas "Quartas-feiras Amarelas"
    0:48

    País

    As 79 escolas privadas com contrato de associação vão protestar todas as quartas-feiras, até ao fim do ano lectivo, contra o fim do financiamento público. Nas chamadas "Quartas-feiras Amarelas", os edifícios vão estar com bandeiras e faixas amarelas, enquanto alunos, professores e outros funcionários vão estar vestidos da mesma cor. O Colégio Liceal de Santa Maria de Lamas é um dos que aderiu à iniciativa. A directora adjunta da instituição, Filipa Vieira, diz que a proposta do Governo põe em causa a liberdade de escolha e até a continuidade do próprio colégio.

  • Instituições de educação privadas acusam Governo de quebrar acordo
    6:49

    País

    O Diretor da Associação de Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo, Rodrigo Queiroz e Melo esteve na Edição da Noite da SIC Notícias para falar dos cortes que o governo fez aos colégios privados. As instituições privadas falam em quebra de acordo da parte do executivo e admitem avançar para tribunal.

  • Ministério da Educação apresenta mapa escolar dia 17
    1:07

    País

    Depois da contestação dos colégios relativamente aos contratos de associação, o Ministério da Educação vai apresentar na próxima semana uma proposta de mapa escolar e garante que os contratos assinados serão cumpridos. O ministério garante que vai avaliar a capacidade das escolas públicas. Os colégios ameaçam avançar esta situação para tribunal.

  • O primeiro eclipse solar do ano
    0:57
  • O Nokia 3310 está de volta
    1:16

    Economia

    A Nokia chegou a ser uma das maiores empresas do mundo devido ao fabrico de telemóveis. Caiu, mas acaba de fazer renascer um dos sucessos de vendas do início do milénio. O anúncio foi feito este domingo, em Barcelona.