sicnot

Perfil

País

PS sobe nas intenções de voto, Marcelo lidera popularidade

SONDAGEM

PS sobe nas intenções de voto, Marcelo lidera popularidade

Se as eleições legislativas fossem hoje o Partido Socialista venceria, sem maioria, mas com mais votos que há um mês. No barómetro SIC/Expresso, Marcelo Rebelo de Sousa continua a liderar destacado na popularidade dos políticos.

Com 34,8% das intenções de voto. o PS começa assim a destacar-se do PSD, embora com uma subida ligeira. Em sentido contrário, sociais-democratas descem três décimas e ficam a mais de três pontos dos socialistas.

A terceira força política continua a ser o Bloco de Esquerda, com 9,6%., pequena descida face ao mês passado - o mesmo valor que faz subir a CDU para os 8,4%.

O CDS tem a maior queda, sete décimas, para os 7%, ao contrário do PAN que sobe para 1,7%.

No campeonato da popularidade, sem surpresas Marcelo Rebelo de Sousa continua a reinar e a somar pontos: vai nos 56,3%.

António Costa também está em alta e ultrapassa a barreira dos 25 pontos positivos. Catarina Martins mantém-se acima dos 17%; Assunção Cristas vem a seguir quase nos 13%; Passos Coelho sobe ligeiramente face ao último barómetro, fica nos 12,3%, e, a fechar, Jerónimo de Sousa também com popularidade positiva.

O estudo de opinião é da Eurosondagem, foi feito entre os dias 5 e 11 de maio através de 1031 entrevistas telefónicas validadas. O erro máximo da amostra é de pouco mais de 3%.

  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08
  • Reveladas escutas telefónicas entre Sócrates e Ricardo Salgado
    2:39

    Operação Marquês

    Após ser detido em 2014, Ricardo Salgado recebeu uma chamada de José Sócrates a dar o seu apoio. Nas escutas é possível perceber que o antigo primeiro-ministro fala de admiração pelo ex-banqueiro, depois de Sócrates ter garantido, na semana passada na RTP, que a relação com Ricardo Salgado era apenas institucional. Noutra conversa de Sócrates, desta vez com o advogado Daniel Proença de Carvalho, o ex-primeiro-ministro criticou Marcelo Rebelo de Sousa, quando este ainda era comentador e tinha comentado a queda do BES.