sicnot

Perfil

País

Marcelo relaxou com a arte urbana e abstraiu-se da economia

O Presidente da República foi hoje conhecer a arte urbana do Bairro Padre Cruz, em Lisboa, e concluiu, por experiência própria, que a pintura de murais relaxa e permite abstrair da política e da economia.

Tiago Petinga

"Estou a descobrir a minha vocação. Daqui a cinco anos dedico-me à pintura de murais. Isto é relaxante. Não se pensa na política, não é? Nem na economia", declarou Marcelo Rebelo de Sousa, enquanto dava pinceladas de amarelo num muro que estava a ser pintado por crianças.

Ao seu lado, uma professora de economia também ajudava na pintura, a quem o chefe de Estado perguntou: "Economia? Não é stressada? Ou não olha para os números?".

O Presidente da República esteve hoje no Bairro Padre Cruz, situado na periferia norte da capital, para ver de perto as obras que mais de 30 artistas portugueses e estrangeiros estão a realizar no âmbito do Muro - Festival de Arte Urbana, o primeiro do género em Lisboa.

Marcelo Rebelo de Sousa percorreu as ruas do bairro durante quase duas horas, acompanhado pelo presidente da junta de freguesia de Carnide, Fábio Martins de Sousa, do PCP, pelo presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, e por outros responsáveis do executivo camarário socialista.

Depois de conversar com vários dos artistas e ver moradores felizes com as novas fachadas das suas casas, o chefe de Estado considerou que esta iniciativa "é espetacular", com "tanta gente, tantas obras e com uma adesão tão grande da população".

Segundo o Presidente, "é uma forma de mostrar que o bairro está vivo, que aponta para o futuro, que está a dar uma volta na parte mais antiga, e de vencer o preconceito de que há bairros de primeira, de segunda, de terceira, de quarta, de quinta, de sexta".

"Não há. Este bairro, em termos de arte urbana, é de primeira. Tomara muitos bairros considerados como privilegiados terem o que este fica a ter", acrescentou.

Lusa

  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.