sicnot

Perfil

País

Marcelo relaxou com a arte urbana e abstraiu-se da economia

O Presidente da República foi hoje conhecer a arte urbana do Bairro Padre Cruz, em Lisboa, e concluiu, por experiência própria, que a pintura de murais relaxa e permite abstrair da política e da economia.

Tiago Petinga

"Estou a descobrir a minha vocação. Daqui a cinco anos dedico-me à pintura de murais. Isto é relaxante. Não se pensa na política, não é? Nem na economia", declarou Marcelo Rebelo de Sousa, enquanto dava pinceladas de amarelo num muro que estava a ser pintado por crianças.

Ao seu lado, uma professora de economia também ajudava na pintura, a quem o chefe de Estado perguntou: "Economia? Não é stressada? Ou não olha para os números?".

O Presidente da República esteve hoje no Bairro Padre Cruz, situado na periferia norte da capital, para ver de perto as obras que mais de 30 artistas portugueses e estrangeiros estão a realizar no âmbito do Muro - Festival de Arte Urbana, o primeiro do género em Lisboa.

Marcelo Rebelo de Sousa percorreu as ruas do bairro durante quase duas horas, acompanhado pelo presidente da junta de freguesia de Carnide, Fábio Martins de Sousa, do PCP, pelo presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, e por outros responsáveis do executivo camarário socialista.

Depois de conversar com vários dos artistas e ver moradores felizes com as novas fachadas das suas casas, o chefe de Estado considerou que esta iniciativa "é espetacular", com "tanta gente, tantas obras e com uma adesão tão grande da população".

Segundo o Presidente, "é uma forma de mostrar que o bairro está vivo, que aponta para o futuro, que está a dar uma volta na parte mais antiga, e de vencer o preconceito de que há bairros de primeira, de segunda, de terceira, de quarta, de quinta, de sexta".

"Não há. Este bairro, em termos de arte urbana, é de primeira. Tomara muitos bairros considerados como privilegiados terem o que este fica a ter", acrescentou.

Lusa

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.