sicnot

Perfil

País

Consumo de eletricidade foi assegurado durante quatro dias por fontes renováveis

O consumo de eletricidade em Portugal foi totalmente assegurado durante mais de quatro dias seguidos por fontes renováveis, atingindo um "recorde nacional" neste século, anunciou hoje a associação ambientalista Zero.

(Reuters/Arquivo)

A ZERO - Associação Sistema Terrestre Sustentável -, em colaboração com a Associação Portuguesa de Energias Renováveis (APREN), analisou os dados da Rede Elétrica Nacional (REN), tendo concluído que na última semana "se atingiu um recorde muito importante neste século".

Segundo os ambientalistas, o consumo de eletricidade foi "assegurado integralmente" por fontes renováveis, entre as 06:45 do dia 07 de maio e as 17:45 da passada quarta-feira, correspondendo a um total de 107 horas seguidas.

Durante este período, explicam em comunicado, "não foi preciso recorrer a nenhuma fonte de produção de eletricidade não renovável, em particular à produção em centrais térmicas a carvão ou a gás natural".

A Zero adianta que as fontes de produção de eletricidade renovável e a capacidade de gestão da rede elétrica portuguesa "ultrapassaram uma difícil prova num contexto de diminutas interligações, principalmente entre Espanha e França", conseguindo que as necessidades do consumo do país tivessem sido asseguradas a 100% a partir de fontes de produção de origem renovável.

Conseguiram ainda exportar uma percentagem significativa de eletricidade, quer de origem exclusivamente renovável, quer complementada nalguns casos por fontes não renováveis.

"Se chuva e vento permitem estes recordes na primavera, torna-se imperioso fomentar e avaliar as mais-valias do aproveitamento da energia do sol e, assim, assegurar que no verão também venhamos a ter contribuições significativas de fontes de energia não emissoras de gases poluentes", defendem os ambientalistas.

Para a associação, estes dados mostram que "Portugal pode ser mais ambicioso" numa transição para um consumo líquido de energia elétrica 100% renovável, com enormes reduções das emissões de gases com efeito de estufa, causadoras do aquecimento global e consequentes alterações climáticas.

Um maior uso da eletricidade como energia final, tendo por base um incentivo que deve ser dado à mobilidade elétrica (o setor dos transportes é o principal setores responsável pelas emissões portuguesas), é igualmente uma variável fundamental na descarbonização da economia, salienta.

Lusa

  • Hoje joga Portugal (mas antes há um Uruguai-Rússia em direto na SIC)

    Mundial 2018 / O Mundial

    Começa a última jornada da fase de grupos do Mundial, com quatro jogos por dia. Às 15:00, numa partida transmitida em direto na SIC, a anfitriã Rússia e o Uruguai resolvem qual poderá ser o adversário de Portugal nos oitavos de final. Isto, dependendo claro da prestação da seleção nacional frente ao Irão, ao fim da tarde, uma vez que a qualificação não está garantida (e pode até depender do resultado do Espanha-Marrocos).

  • Gato reencontra dono 10 anos depois de ter desaparecido

    Mundo

    A Blue Cross recolheu no mês passado um gato que tinha sido dado como desaparecido em 2008, num altura em que o dono Mark Salisbury residia em Ipswich, Suffolk, no Reino Unido. Graças ao microchip de Harry, a associação britânica que se dedica à proteção animal, conseguiu localizar Salisbury, que agora vive em Gloucestershire.

  • "É a primeira vez que vai ser testado o programa do Nuno Crato"
    0:57

    País

    Os alunos do 11º e 12º anos de escolaridade fazem hoje o exame de matemática, uma das provas mais importantes no acesso à universidade e para a conclusão do ensino obrigatório. No final do secundário, são quase 50 mil os alunos que hoje fazem a prova que acarreta algumas alterações instituídas ainda pelo ex-ministro Nuno Crato, como explicou à SIC Notícias o diretor do Liceu Camões, em Lisboa.

  • "Isto é a demagogia à solta"
    0:45

    Opinião

    Quem o diz é Luís Marques Mendes a propósito da aprovação esta semana da lei do CDS-PP que elimina o adicional do imposto sobre os combustíveis. O comentador da SIC critica a oposição por ter levado a votação uma lei inconstitucional e acusa ainda os parceiros de Governo de deslealdade. 

    Luís Marques Mendes