sicnot

Perfil

País

Conselho das Escolas contra quotas para colocação de docentes doentes

O Conselho das Escolas (CE) está contra as regras propostas pelo Ministério da Educação (ME) para os processos de transferência de professores ou familiares doentes, considerando que o legislador tem uma visão administrativa "cega e desajustada".

(Arquivo)

(Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

O ME apresentou ao Conselho das Escolas um projeto de despacho com novas regras para o destacamento por doença, entre as quais está a possibilidade de as escolas receberem no máximo cinco docentes nestas condições.

Para o CE, definir um limite máximo de professores é "inaceitável", devendo existir apenas a confirmação da efetiva doença, situação suficiente para ter direito a ficar mais perto de casa ou dos tratamentos.

O CE lembra que esta regra pode pôr em causa o princípio da igualdade, bastando para tal surgirem seis pessoas candidatas à mesma escola, em que uma veria o seu pedido indeferido apenas por estar preenchida a quota.

Critica também as prioridades de ordenação propostas pelo ministério: em 1.º lugar surge a doença do próprio docente; em 2.º a de quem tem filhos doentes com menos de 12 anos e em 3.º quem tem descendentes com mais de 12 anos.

Novamente, o CE volta a defender que deve ser dada prioridade à gravidade da doença, dando como exemplo um professor que tenha um filho mais velho, mas com mais necessidade de acompanhamento do que outro com um mais novo.

Finalmente, o CE critica e assume a sua perplexidade perante o facto de o ME querer que o apoio "fique dependente da graduação profissional do docente para efeitos de concurso e não do grau e gravidade da sua doença e/ou dependência provocada pela doença de família direto/afim".

"A utilização da graduação profissional, de prioridades para ordenar os docentes que requerem mobilidade por doenças e a criação de uma quota de cinco docentes por escola/Agrupamento de Escolas, evidenciam uma fria visão administrativa da parte do legislador, que o Conselho das Escolas não pode deixar de denunciar, porquanto socialmente cega e desajustada", refere o parecer do CE, que esteve reunido no final da semana passada.

Para aquele órgão consultivo, estes critérios "revelam-se inadequados e ética e legalmente questionáveis".

O CE conclui ainda que a proposta do ministério acaba por "tentar transformar um requerimento para destacamento de doença num ´concurso´ de professores".

Lembrando que a decisão de rever as regras do destacamento por doença surgiu depois da polémica, no início do ano letivo, em torno dos professores que conseguiram mudar de escola, provocando "algum alvoroço e indignação de muitos docentes que se viram ultrapassados na ocupação de vagas".

No entanto, o CE entende que esta situação deve ser evitada através da verificação de situações que suscitem dúvidas: o Ministério "deverá disponibilizar os meios necessários para comprovar e certificar os fundamentos do pedido e, sendo o caso, responsabilizar os autores de eventuais irregularidades".

Entretanto, também o Sindicato Independente dos Professores e Educadores (SIPE) já veio contestar a proposta do ME, acusando o governo de impedir o acesso a uma escola da área de residência, ao impor quotas.

Na sequência de uma reunião realizada no início deste mês com o Ministério da Educação, o sindicato manifestou-se contra a imposição de "quotas que limitam a cinco o número de professores em mobilidade", por escola ou agrupamento.

"O novo projeto de mobilidade de doença contempla quotas, prioridades e graduação profissional", afirma a presidente do SIPE, em comunicado, considerando que a doença "não é sensível a nenhum destes três pontos".

Lusa

  • Polémica sobre offshore intensifica guerra de palavras entre PSD e Governo
    2:39
  • DGO divulga hoje execução orçamental de janeiro

    Economia

    A Direção-Geral do Orçamento (DGO) divulga hoje a síntese de execução orçamental em contas públicas de janeiro, sendo que o Governo estima reduzir o défice para 1,6% do Produto Interno Bruto (PIB) em contabilidade nacional em 2017.

  • Paulo Fonseca e Paulo Sousa fora da Liga Europa

    Liga Europa

    A segunda mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa ficou marcada pelas eliminações de duas equipas treinadas por portugueses: a Fiorentina de Paulo Sousa e o Shakhtar Donetsk de Paulo Fonseca. Paulo Bento, no Olympiacos, e José Mourinho, no Manchester United, são os únicos técnicos lusos ainda em competição. Noutros jogos, destaque para os afastamentos do Tottenham e do Zenit. Veja aqui os resumos de todos os encontros desta noite europeia. O sorteio dos oitavos-de-final está agendado para esta sexta-feira, às 12h00, hora de Lisboa.

  • "Não preciso de ajustar contas com ninguém"
    0:49

    País

    O ex-Presidente da República insiste que José Sócrates foi desleal durante as negociações do Orçamento do Estado para 2011. Numa entrevista dada à RTP1, Cavaco Silva esclareceu ainda que não escreveu o livro de memórias para ajustar contas com o ex-primeiro-ministro.

  • Sócrates em processo judicial surpreende Cavaco
    0:18

    País

    Cavaco Silva afirmou ter ficado surpreendido com o envolvimento de José Sócrates num processo judicial. Em entrevista à RTP1 o ex-Presidente da República diz que nunca se apercebeu de qualquer "atuação legalmente menos correta" da parte de Sócrates.

  • PSD questiona funcionamento da Assembleia da República
    2:39

    Caso CGD

    O PSD e o CDS vão entregar esta sexta-feira no Parlamento o pedido para criar uma nova Comissão de Inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos. Os dois partidos reuniram-se esta quarta-feira para fechar o texto do requerimento. Durante o dia, o PSD considerou que o normal funcionamento da Assembleia da República está em causa, o que levou Ferro Rodrigues a defender-se e a garantir que está a ser imparcial.

  • Marcelo rejeita discussões menores na banca
    0:32

    Economia

    O Presidente da República avisa que não se devem introduzir querelas táticas e menores no sistema financeiro. Num encontro que reuniu publicamente Marcelo e Centeno, o Presidente diz que é preciso defender o interesse nacional.

  • Três dos planetas encontrados podem conter água e vida
    3:28
  • Túnel descoberto em cadeia brasileira tinha ligação a uma habitação
    0:44

    Mundo

    A polícia brasileira descobriu um túnel que ligava a cadeia de Porto Alegre a uma casa e serviria para libertar prisioneiros do estabelecimento. As autoridades detiveram sete homens e uma mulher no local. A construção permitiria uma fuga massiva que poderia chegar aos 200 mil fugitivos e estima-se que terá custado mais de 300 mil euros. A polícia do Rio Grande do Sul acredita, assim, ter impedido aquela que seria a maior fuga de prisioneiros de sempre no Estado brasileiro.