sicnot

Perfil

País

Número de denúncias por atos contra pessoas LGBT aumentou 300%

O número de pessoas que denunciou crimes ou incidentes motivados pelo ódio em função da orientação sexual e da identidade de género aumentou 300% entre 2014 e 2015, segundo dados do Observatório da Discriminação.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Marko Djurica / Reuters

De acordo com o relatório relativo a 2015, a que a Lusa teve acesso, sobre a discriminação homofóbica e Transfóbica em Portugal, houve 158 pessoas que denunciaram situações que configuram crimes e/ou incidentes motivados pelo ódio em função da orientação sexual e da identidade de género.

Destas 158 pessoas, 24% denunciaram as ocorrências, contra 66% que não fizeram denúncia e 9% que disseram não saber se tinha ou não havido uma denúncia.

Em declarações à agência Lusa, a coordenadora do Observatório da Discriminação, salientou "o aumento significativo" de denúncias feitas às autoridades, quando comparado com anos anteriores.

Em 2013, o número de pessoas que tinha apresentado queixa foi de 3%, enquanto em 2014 o número subiu para os 6%, valor que salta para os 24% em 2015, o que significa que entre 2014 e 2015 houve um aumento de 300% no número de denúncias feitas.

"É um aumento significativo da confiança nas autoridades e da certeza absoluta que devem denunciar e reivindicar os seus direitos e isto sim é de evidenciar porque é muito, muito positivo", destacou Marta Ramos.

Para a responsável, este "aumento brutal" no número de denúncias foi uma "surpresa positiva", "reflexo do muito trabalho que tem vindo a ser feito pela ILGA Portugal" em matéria de sensibilização da população em geral, das pessoas LGBT (Lésbicas, Gay, Bissexuais e Trangénero) e dos profissionais que atuam em áreas como a segurança, a saúde ou a educação.

"O trabalho de formação sistemático tem sido bastante visível para a população LGBT e há maior responsabilização das autoridades nacionais, Governo, ministérios, e as pessoas sentem uma maior legitimidade em apresentar queixa e reivindicar os seus direitos", sublinhou.

Segundo a responsável, a sensibilização das forças de segurança para este tema é cada vez maior e adiantou que há muita recetividade e uma "grande consciência" para saber atuar corretamente perante agressões contra pessoas LGBT, "o que significa que reconhecem que há discriminação e que há crimes de ódio".

Já no que diz respeito ao sistema de justiça, a realidade não é a mesma, e é onde muitas vezes o processo falha, o que leva a responsável a defender mais formação para todos os profissionais que trabalham nesta área, nomeadamente magistrados.

"Perceberem como adaptar a lei, quando é preciso, porque o facto de os nossos crimes de ódio continuarem circunscritos a três situações muito específicas significa que muitas das situações que nos chegam, e são o grosso, continuam a não ser considerados crimes de ódio quando deviam", apontou Marta Ramos.

Por outro lado, defendeu que é preciso perceber, ao nível da investigação, "como lidar e como fazer valer com que o auto de denúncia que veio da esquadra continue a valer no processo de justiça".

A 17 de maio assinala-se o Dia Internacional de Luta contra a Homofobia, Lesbofobia e Transfobia.

Lusa

  • Marcelo lembra as consequências da demissão de Vítor Gaspar
    1:06

    Caso CGD

    O Presidente da República reitera que o assunto Caixa Geral de Depósitos está fechado. Em entrevista à TVI, Marcelo Rebelo de Sousa lembrou esta segunda-feira as consequências que a demissão de Vítor Gaspar, ministro das Finanças em 2013, provocou no sistema financeiro para justificar o facto de ter intervindo na polémica com as SMS trocadas entre Mário Centeno e António Domingues.

  • PSD e CDS admitem chamar António Costa à nova Comissão de Inquérito à CGD
    2:37

    Caso CGD

    PSD e CDS admitem chamar o primeiro-ministro à nova Comissão de Inquérito à CGD. Apesar de ser uma hipótese, a SIC sabe que os dois partidos ainda estão a definir o objeto do inquérito e, por isso, afirmam que é prematuro falar sobre eventuais audições. Seja como for, António Costa voltou esta segunda-feira a dizer que o assunto está encerrado.

  • Acha que conhece o seu país?
    27:42
  • Avioneta despenha-se em centro comercial de Melbourne

    Mundo

    Uma avioneta com cinco pessoas a bordo caiu num centro comercial perto do aeroporto de Essendon em Melbourne, capital da Austrália. Segundo a polícia do estado de Vitória tratava-se de um voo charter com destino a King Island, situada entre a parte continental da Austrália e a ilha da Tasmânia.

  • Pelo menos 18 detidos em protestos no Rio de Janeiro

    Mundo

    Pelo menos 18 pessoas foram esta segunda-feira detidas no Rio de Janeiro, Brasil, depois de confrontos com a polícia durante um protesto contra a privatização da empresa pública de saneamento, que serve o terceiro estado mais povoado do país.

  • O momento em que Kim Jong-nam terá sido envenenado
    1:21

    Mundo

    A investigação ao homicídio do meio-irmão do líder da Coreia do Norte no aeroporto da capital da Malásia está a provocar uma crise diplomática entre os dois países. Esta segunda-feira, um canal de televisão japonês divulgou imagens das câmaras de vigilância do aeroporto que alegadamente captam o momento em que Kim Jong-nam terá sido envenenado.

  • O atentado na Suécia inventado por Donald Trump
    2:12
  • Os ensaios para a maior festa do ano
    1:16

    Mundo

    Em contagem decrescente para o Carnaval, no Rio de Janeiro, já começaram os ensaios para a maior festa do ano. A noite de testes na avenida Marquês de Sapucaí conta com desfiles gratuitos.