sicnot

Perfil

País

Presidente do Oriental diz que clube é "vítima" do processo Jogo Duplo

O presidente do Oriental disse hoje que o clube é uma das principais vítimas do chamado processo Jogo Duplo e que este é alheio a quaisquer atos ilícitos que possam ter sido cometidos por jogadores e dirigentes.

© Max Rossi / Reuters

"Estamos aqui para defender a honra, até à última gota de sangue, de uma instituição com mais de 100 anos de história. Após o último jogo da II Liga com o Atlético, que vencemos por 3-2, ficámos surpreendidos com a detenção, por parte da Polícia Judiciária, de quatro atletas nossos. Não pactuamos com quaisquer atos ilícitos", sublinhou José Nabais.

O dirigente revelou que já foi ouvido por Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, por Fernando Gomes, líder da Federação Portuguesa de Futebol, Pedro Proença, presidente da Liga de clubes, e Nuno Lobo, presidente da Associação de Lisboa.

"Somos um clube de gente séria e humilde, mas temos a nossa honra a defender", adiantou José Nabais, prometendo todo o apoio possível aos quatro futebolistas visados neste processo: Rafael Veloso, André Almeida, João Pedro e Diego Tavares.

"Continuamos a ter confiança nos atletas. Custa-me a crer que um jogador como o André Almeida, que conheço muito bem, tenha cometido qualquer ato ilícito", sublinhou.

Relativamente ao jogador brasilleiro Diego Tavares, o único dos quatro que ficou detido - os outros saíram em liberdade com termos de identidade e residência -, o presidente do Oriental esclareceu: "Temos de olhar para o lado humano. Ainda hoje recebi uma mensagem da esposa, que está muito preocupada no Brasil, a pedir-nos que alonguemos o período de cedência da casa onde vive o Diego. Mas a direção ainda não tomou uma decisão sobre o assunto."

José Nabais também enviou uma 'farpa' a Vítor Oliveira, ex-treinador do Chaves, o qual sugeriu que os salários em atraso que alguns clubes mantêm com os seus profissionais potenciam os casos de aliciamento e viciação de resultados.

"Tenho muito respeito pelo senhor Vítor Oliveira. Se calhar não quis visar particularmente o Oriental, mas quem não se sente não é filho de boa gente. Garanto que no Oriental não há salários em atraso", frisou.

O presidente do Oriental também discordou da posição assumida pelo treinador Jorge Andrade no final do campeonato da II Liga, técnico que considerou existirem fortes motivos para suspeições: "Ele também foi vítima deste processo. Espero que este caso não manche a sua carreira, que ainda está no início.".

José Nabais salientou ainda que o Oriental vai a eleições no próximo mês e que "ainda tudo poderá acontecer".

O advogado do clube, Vítor Parente, disse, por seu lado, que "este processo trouxe muitos inconvenientes ao clube, que vai constituir-se como assistente no processo" e que vai procurar "toda a verdade junto do Ministério Público".

O capitão Daniel Almeida assegurou que o plantel não teve nenhuns indícios de atos ilícitos por parte de jogadores ou dirigentes: "Isto é um assunto muito delicado. Os quatro colegas visados têm a nossa solidariedade. Até ao momento só temos suspeições e alegações. Ninguém foi condenado. Aliás, no futebol há sempre suspeições."

No chamado processo 'Jogo Duplo' foram constituídas arguidas 15 pessoas, entre jogadores, treinadores, dirigentes e empresários. Apenas três ficaram detidos, o avançado brasileiro do Oriental Diego Tavares, Carlos Daniel 'Aranha', elemento ligado à claque do FC Porto SuperDragões e ainda Gustavo Oliveira.

Lusa

  • Arguidos da Operação Jogo Duplo ouvidos por um juiz de instrução
    1:38

    Desporto

    Os 15 detidos da Operação Jogo Duplo foram hoje presentes a um juiz de instrução. Entre os suspeitos há dirigentes e jogadores dos clubes Oriental, Oliveirense e Leixões, que fariam parte de um esquema de viciação de jogos da segunda liga. O presidente e o diretor desportivo do Leixões serão suspeitos de aliciar jogadores de outras equipas. Os jogadores do Oriental e do Oliveirense são suspeitos de receberem subornos para prejudicarem as próprias equipas.

  • Detidos na Operação Jogo Duplo não vão prestar declarações em tribunal
    0:28

    País

    Os 15 detidos da Operação Jogo Duplo continuam esta tarde a ser interrogados por um juiz de instrução que vai determinar as medidas de coação. Em causa estão suspeitas de manipulação de resultados de jogos da segunda liga. Entre os suspeitos há dirigentes e jogadores do Oriental, da Oliveirense e do Leixões. O advogado de dois dos detidos já confirmou que nenhum vai prestar declarações.

  • PJ detém 15 pessoas no âmbito da operação "Jogo Duplo"
    2:47

    Desporto

    A polícia judiciária deteve 15 pessoas em todo o país, no âmbito na operação de combate à corrupção "Jogo Duplo". Entre os detidos estão quatro jogadores do Oriental, do Oliveirense da 2ª Liga, o presidente e diretor desportivo do Leixões. A investigação ocorre no âmbito de suspeitas de resultados combinados.

  • 105 detidos pela PSP e GNR nas últimas 24 horas

    País

    Só a GNR deteve 64 pessoas em flagrante delito, entre a noite de sexta-feira e o início da manhã deste sábado, a maioria das quais (47) por condução sob o efeito do álcool. A PSP de Lisboa efetuou 41 detenções em 24 horas, dez por tráfico de droga.

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.